João Pessoa 24.13ºC
Campina Grande 20.9ºC
Patos 21.43ºC
IBOVESPA 127108.22
Euro 5.8968
Dólar 5.4177
Peso 0.006
Yuan 0.7446
Força Tarefa faz operação na casa de lideranças de movimentos sociais que invadiam áreas privadas em JP
30/11/2023 / 07:32
Compartilhe:

Uma Força Tarefa composta pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado – GAECO e pela Polícia Civil, desencadeou na manhã de hoje a “Operação Hemera’.
O objetivo é dar cumprimento a mandados de busca e apreensão expedidos pelo Tribunal de Justiça da Paraíba.

A ação objetiva apurar os fatos que indicam possíveis condutas criminosas praticada por Cláudia Alves Bezerra, que liderou processo de invasão da fazenda Paratibe na Praia do Sol e chegou a desmatar cerca de 45 hectares de vegetação dos biomas manguezal e mata atlântica.

A maioria dos invasores se reunia esporadicamente para simular que moravam na área e criar a narrativa de que existia um assentamento de famílias no local.

Sob o comando de Cláudia Alves Bezerra, quem comprou um lote na área era orientado a entrar num grupo de whatsapp de onde ela dava ordens e criava normas com níveis distintos de hierarquia, de modo que, quando havia qualquer movimentação por parte de autoridades públicas, ela, como liderança do movimento convocava os invasores para se deslocarem massivamente à área, acompanhados de suas esposas e filhos, para fingir a utilização da terra para fins agrícolas.

Relatório assinado por técnicos da secretaria de Planejamento e Gestão, com data do dia 22 de novembro de 2022, revelam que os documentos apresentados por Cláudia Alves Bezerra, continham características não habituais para o trâmite e a partir desse momento a prefeitura de João Pessoa passou a monitorar o caso e pediu providências ao Ministério Público.

Nas redes sociais, Cláudia Alves Bezerra aparecia portando um fuzil AK 47 posando para fotos dizendo que recebia proteção da facção criminosa Nova Okaida numa ação deliberada para mostrar força.

Ela está sendo investigada por estelionato (venda de imóvel de terceiro), constituição e integração de organização criminosa, falsidade ideológica, e formação de quadrilha.

Estão sendo cumpridos 06 mandados judiciais de busca e apreensão, em endereços na cidade de João Pessoa-PB.

O trabalho conta com a participação de 15 integrantes do GAECO-PB (incluindo membros e servidores), integrantes da Polícia Civil da Paraíba (delegados e policiais civis) e policiais militares, totalizando 58 agentes de segurança pública.

Veja nota oficial do Ministério Público sobre a operação

Operação HEMERA: Força Tarefa do Ministério Público e Polícias da Paraíba em Ação Contra o Crime Organizado

João Pessoa, 30 de novembro de 2023 – Uma operação coordenada pelo Ministério Público do Estado da Paraíba, através do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (GAECO), em conjunto com as Polícias Militar e Civil da Paraíba, foi deflagrada na manhã de hoje sob o nome de “Operação HEMERA”. A ação tem como foco a execução de mandados de busca e apreensão autorizados pelo Tribunal de Justiça da Paraíba, visando desarticular um grupo criminoso envolvido em uma série de delitos.

A operação visa responsabilizar os suspeitos por uma gama de crimes, incluindo estelionato (art. 171, § 2º, I, CP), falsidade ideológica (art. 299, CP), invasão de propriedade (art. 161 do Código Penal), furto de energia (art. 1º, § 1º, da Lei nº 12.850/2013), constituição e integração de organização criminosa (art. 2º, caput da Lei 12.850/13), além de outros crimes conexos.

Investigações apontam que os delitos são perpetrados por um grupo que se disfarça sob a fachada de liderança social, utilizando-se de bandeiras legítimas para estabelecer alianças com facções criminosas. O objetivo é invadir territórios, tanto públicos quanto privados, desalojando moradores e angariando recursos financeiros através de atividades ilícitas, promovendo assim a expansão e fortalecimento de seu domínio territorial.

No total, estão sendo executados 06 mandados judiciais de busca e apreensão na cidade de João Pessoa-PB. A operação mobiliza 15 equipes do GAECO, PMPB e PCPB, totalizando aproximadamente 58 Agentes de Segurança Pública empenhados nesta significativa ação de combate ao crime organizado.