João Pessoa 29.13ºC
Campina Grande 25.9ºC
Patos 31.42ºC
IBOVESPA 119048.16
Euro 5.7546
Dólar 5.3757
Peso 0.006
Yuan 0.7409
Adoçante Aspartame entra na lista da OMS como substância “potencialmente cancerígena”
14/07/2023 / 16:19
Compartilhe:

Uma reavaliação por parte de órgãos ligados à OMS (Organização Mundial da Saúde) transformou, nos últimos dias, o adoçante aspartame, um dos mais utilizados no mundo, no vilão da vez, ao classificá-lo como “potencialmente cancerígeno”. Por outro lado, as entidades dizem que os atuais níveis de consumo diário são seguros.

A decisão partiu da AIPC (Agência Internacional de Pesquisa em Câncer) e do JECFA (Comitê Misto FAO/OMS de Especialistas em Aditivos Alimentares), além da própria OMS.

“A AIPC classificou o aspartame como possivelmente cancerígeno para humanos [grupo 2B] com base em evidências limitadas de câncer em humanos [especificamente, para carcinoma hepatocelular, que é um tipo de câncer de fígado]. Também havia evidências limitadas de câncer em animais experimentais e evidências limitadas relacionadas aos possíveis mecanismos para causar câncer”, diz, em nota, a OMS.

Segundo o JECFA, não houve necessidade de alterar a recomendação de ingestão diária aceitável. O limite é de 40 mg de aspartame por quilo corporal.

Para extrapolar esse limite, um adulto de 70 kg precisaria consumir entre nove e 14 latas de refrigerante zero-açúcar todos os dias, partindo-se do pressuposto de que elas contenham entre 200 mg e 300 mg do adoçante.

A FDA, agência reguladora de alimentos e medicamentos dos EUA, estabelece um limite maior diário, de 50 mg/kg. Dessa forma, uma pessoa de 60 kg teria que consumir diariamente 75 pacotinhos de aspartame para superar o limite.

“As classificações da AIPC refletem a força das evidências científicas sobre se um agente pode causar câncer em humanos, mas não refletem o risco de desenvolver câncer em um determinado nível de exposição”, acrescenta a OMS.

Os órgãos que participaram da decisão defendem a realização de mais estudos para entender os reais riscos do aspartame à saúde.

F5 com informações do R7