João Pessoa 23.13ºC
Campina Grande 20.9ºC
Patos 20.54ºC
IBOVESPA 119630.44
Euro 5.7882
Dólar 5.441
Peso 0.006
Yuan 0.7499
Advogado aciona STF contra políticos da Paraíba que incitaram atos terroristas no DF
11/01/2023 / 06:32
Compartilhe:

O advogado, presidente do Conselho Estadual dos Direitos Humanos na Paraíba e ex-candidato a deputado estadual e a prefeito de Campina Grande, Olímpio Rocha anunciou que vai protocolar uma notícia-crime no Supremo Tribunal Federal (STF), direto no gabinete do ministro Alexandre de Moraes, pedindo “providências” contra políticos paraibanos que usaram as redes sociais para incitar os atos golpistas realizados no domingo (8), em Brasília.

“E nós vimos quem são né. O ex-candidato a governador Nilvan Ferreira, o deputado Walber Virgolino, a vereadora Eliza Virgínia, entre outros influenciadores e influenciadoras que fizeram publicações nas suas respectivas redes sociais incitando o crime, incitando esses atos terroristas que aconteceram domingo em Brasília. E essas figuras todas estarão apontadas na nossa noticia-crime, que será mais tardar protocolada, amanhã, mais tardar daqui pro fim de semana, junto ao gabinete do ministro Alexandre de Moraes, vamos pedir providências contra essas pessoas pra que seja dado o exemplo pra que ninguém se atreva mais a incitar ou atentar contra o Estado de Direito aqui no nosso país”, disse em entrevista ao cast arretado, na noite desta terça-feira (10).

Olímpio também criticou a falta de uma agenda legítima de reivindicações nos atos realizados no Distrito Federal, que terminaram na invasão e depredação das sedes do Congresso, Executivo e Supremo.

“Não havia nenhum tipo de demanda legítima acobertada pela necessidade popular. Nada de educação, nada de alimentação saudável, cozinha popular, nada de direitos das minorias, o que essas pessoas estavam pedindo na frente dos quartéis era um golpe de estado, que o Estado Democrático de Direito fosse abolido e Bolsonaro fosse declarado eleito ou voltasse ao poder, e acho que a essa altura Bolsonaro já é figura secundária, o que eles queriam era fomentar o caos total”, afirmou.