João Pessoa 24.13ºC
Campina Grande 21.9ºC
Patos 24.27ºC
IBOVESPA 119630.44
Euro 5.8311
Dólar 5.441
Peso 0.006
Yuan 0.75
Alvo de operação da PF, Grupo João Santos tem dívida tributária de R$ 8,6 bilhões
05/05/2021 / 11:47
Compartilhe:

A Polícia Federal, a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional e a Receita Federal desencadearam uma operação para investigar crimes tributários do Grupo João Santos, dono da empresa Cimento Nassau e um dos maiores conglomerados empresariais do Nordeste.

A Operação Background foi desencadeada nesta quarta-feira (5) e teve 53 mandados de busca e apreensão expedidos pela 4ª Vara Penal da Justiça Federal. 

A investigação foi nomeada Background devido à suspeita de ocultação de patrimônio com a criação de empresas paralelas e sócios aparentes.

De acordo com a Procuradoria da Fazenda, as empresas do Grupo João Santos têm dívidas tributárias, de R$ 8,6 bilhões, e trabalhistas, de R$ 55 milhões. 

Elas são suspeitas de sonegar impostos e direitos trabalhistas de centenas de empregados. Os trabalhadores, de acordo com as investigações, ficavam sem receber salários e outros direitos trabalhistas.

Um escritório da Cimento Nassau, localizado no Bairro do Recife, na região central da capital pernambucana, foi alvo de mandado de busca e apreensão.

De acordo com a PF, mais de 240 policiais cumprem medidas judiciais em cinco estados: Pernambuco, São Paulo, Amazonas, Pará e Distrito Federal.

Segundo a Receita Federal, mais de 20 empresas do grupo eram utilizadas num esquema chamado de “factoring”, para desviar receitas que poderiam ser usadas para quitar dívidas trabalhistas e tributárias.

Também foi verificada a ocorrência de subfaturamento em exportações, “com o claro objetivo de remeter, ilicitamente, recursos ao exterior”.

Os crimes investigados, segundo a Receita federal, são sonegação fiscal, apropriação indébita, evasão de divisas, frustração de direitos trabalhistas, operação de instituição financeira não autorizada e lavagem de dinheiro.

Cerca de 50 procuradores da Fazenda Nacional trabalham na ação, além de 53 equipes da Polícia Federal e várias equipes de auditores fiscais da Receita Federal.