João Pessoa 25.56ºC
Campina Grande 20.78ºC
Patos 28.01ºC
IBOVESPA 123779.54
Euro 5.5937
Dólar 5.1534
Peso 0.0058
Yuan 0.7113
Associações se manifestam após agressões de dirigentes do Botafogo-PB a jornalistas
19/03/2023 / 13:35
Compartilhe:

A Associação Paraibana de Imprensa (API), o Sindicato dos Jornalistas da Paraíba, a Federação Nacional dos Jornalistas, a Associação Paraibana dos Cronistas Esportivos (APBCE) e Associação dos Cronistas Esportivos do Estado da Paraíba (ACEP) emitiram nota de repúdio, neste domingo (19), contra as agressões de dirigentes do Botafogo-PB a repórteres, neste sábado (18), no Almeidão. A API-PB se solidariza com os profissionais desacatados e se coloca à disposição para medidas cabíveis.

“A API-PB reforça seu compromisso com a liberdade de imprensa, lamenta que episódios como este ainda aconteça, cobra uma postura de respeito do Botafogo, seus dirigentes e funcionários aos cronistas esportivos da Paraíba, e repudia qualquer forma de intimidação ao trabalho dos profissionais de imprensa”, diz nota da API-PB.

O Sindjor-PB e a Federação Nacional dos Jornalistas em nota conjunta destacam que os ataques foram de maior gravidade, pois ocorreram justamente em uma área restrita aos profissionais de imprensa. Para as instituições, o comportamento dos dirigentes do Botafogo-PB rechaçam o espirito esportivo e está mais para as páginas policiais do que para a editoria de Esportes.

“O comportamento dos dirigentes do Belo reflete o total despreparo pessoal dos indivíduos que deveriam zelar pela imagem do Clube e não expô-lo à mercê de seus destemperos. Além disso, é básico reconhecer que a liberdade de expressão é assegurada aos profissionais de imprensa que tem evidentes direitos de manifestarem suas opiniões”, destacou.

Leia também: Jornalistas são agredidos por dirigentes do Botafogo-PB no Almeidão

Entenda o caso 

As agressões teriam acontecido após o jogo entre o Botafogo-PB e Sousa, na noite neste sábado (18), no Estádio Almeidão, em João Pessoa. Fábio Hermano, da Rádio CBN, relatou que foi abordado pelo empresário Breno Morais por conta de um comentário técnico sobre o lateral esquerdo Léo Campos. O jornalista havia dito que a escalação do atleta seria arriscada o jogo.

“Ele falou que os meus comentários atrapalhavam ambiente, que eu era mentiroso, me xingou de vários nomes, aí chegou seguranças tomando meu microfone, desligando… lamentável”, afirmou Hermano que foi proibido de entrar na Maravilha do Contorno e de reportar as entrevistas coletivas do clube.

O presidente da (APBCE), Elialdo prometeu que vai ao Ministério Publico e que a instituição está disponibilizando dois advogados para acompanhar os profissionais de imprensa nos registros do caso na delegacia. Hoje ele procurou a Polícia Civil para registar boletim de ocorrência.

A Associação dos Cronistas Esportivos do Estado da Paraíba (ACEP-PB) diz esperar “atitude diligente das autoridades competentes quanto a apuração dos fatos ocorridos, como forma de apontar e punir exemplarmente os culpados”.