João Pessoa 23.13ºC
Campina Grande 19.9ºC
Patos 25.7ºC
IBOVESPA 128293.61
Euro 5.9078
Dólar 5.4405
Peso 0.0059
Yuan 0.7496
BNB lança plano de ação territorial para estruturar produção do abacaxi no Agreste e Zona da Mata paraibana
11/12/2023 / 07:36
Compartilhe:

A Paraíba é o segundo maior produtor de abacaxi do Brasil, e o cultivo da fruta é responsável por 50% do valor bruto de toda a produção da fruticultura do estado. Esses dados apresentados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e pelo Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene) dimensionam a importância dessa atividade econômica paraibana. Com o objetivo de organizar a cadeia produtiva do abacaxi no Agreste e Zona da Mata, o Banco do Nordeste lançou o Plano de Ação Territorial (PAT) da abacaxicultura, em Itapororoca.

O lançamento ocorreu no início de dezembro e faz parte do Programa de Desenvolvimento Territorial (Prodeter) do BNB. O PAT engloba seis municípios que concentram 82% de toda a produção do estado: Itapororoca, Araçagi, Lagoa de Dentro, Curral de Cima, Santa Rita e Pedras de Fogo. A operacionalização do plano envolve entidades parceiras de assistência técnica, capacitação técnica e gerencial, consultoria e elaboração de projetos. O PAT prevê a implementação de ações de mecanização, inovação e difusão tecnológica, visando à elevação da produtividade, melhoria da qualidade e agregação de valor aos produtos vendidos.

“Reunimos os principais produtores, entidades parceiras, atores e representantes dos elos da cadeia produtiva do abacaxi no lançamento do Plano de Ação Territorial da abacaxicultura paraibana. As ações a serem executadas no âmbito do Prodeter visam, sobretudo, a organizar a atividade, aumentar a produção reduzindo custos e gerando maiores receitas aos empreendedores, e qualificar e agregar valor ao produto, a exemplo do abacaxi orgânico”, destaca o agente de desenvolvimento do BNB, Kennedy Wanderley de Sousa.

A Paraíba registra mais de 263 milhões de frutos extraídos por ano, proporcionando receitas da ordem de R$ 325 milhões para a economia estadual. Um dos clientes do Banco do Nordeste é o produtor Tobias Lopes, do Sítio São José. A propriedade recebeu selo de certificação orgânica na produção do fruto. Para isso, o produtor passou quatro anos estudando o manejo e a viabilidade do cultivo do abacaxi orgânico no sítio, que fica em Itapororoca. O cliente foi recentemente premiado pelo BNB, em virtude das inovações por ele implementadas na cultura do abacaxi e da agregação de valor que conseguiu imprimir aos seus produtos. Atualmente, o sítio produz 30 mil frutos por hectare, com irrigação por gotejamento e sem uso de qualquer agrotóxico.

Integram o PAT da abacaxicultura: Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Ministério da Agricultura e do Abastecimento (Mapa), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Federação da Agricultura e Pecuária da Paraíba (Faepa), Secretaria de Agricultura e Pesca do Governo do Estado, Sindicato e Organização de Cooperativas do Estado da Paraíba (OCB), Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Empresa Paraibana de Pesquisa, Extensão Rural e Regularização Fundiária (Empaer), Prefeituras Municipais de Itapororoca, Araçagi, Lagoa de Dentro, Curral de Cima, Santa Rita e Pedras de Fogo.

Também participam as empresas Intrafrut, Doce Mel, Sítio São José, Frutiaçú, Aggroon e Santos Agrícola. O PAT tem a participação do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Itapororoca e Movimento pelo Fortalecimento e Desenvolvimento dos Arranjos Produtivos da Agropecuária Paraibana (Planes-PB).