João Pessoa 24.13ºC
Campina Grande 20.9ºC
Patos 21.43ºC
IBOVESPA 127108.22
Euro 5.8968
Dólar 5.4177
Peso 0.006
Yuan 0.7446
Cantor e compositor, Carlos Lyra morre aos 90 anos
17/12/2023 / 08:11
Compartilhe:

O cantor e compositor Carlos Lyra, parceiro de Vinicius de Moraes, Ronaldo Bôscoli e outros artistas, morreu na madrugada deste sábado (16), no Rio.

Autor de sucessos como ‘Coisa mais linda’, ‘Minha namorada’, ‘Primavera’, ‘Sabe você’ e ‘Você e eu’, Lyra era um dos melodistas mais inspirados da música brasileira em todos os tempos.

O  compositor de 90 anos havia sido internado com um quadro de febre na quinta-feira (14) no Hospital da Unimed, na Barra da Tijuca. Após alguns exames, foi detectada uma bactéria. A causa da morte ainda é desconhecida.

O corpo do músico será velado no domingo (17), das 10h às 14h, no Memorial do Carmo, no Caju. A cerimônia será restrita a familiares e amigos.

O Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição) lamentou o falecimento do cantor e compositor Carlos Lyra. Segundo a instituição, o artista “deixa sua marca na história”.

Confira a nota

Com imenso pesar, o Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição) lamenta o falecimento do cantor e compositor Carlos Lyra aos 90 anos, na madrugada deste sábado (16), no Rio de Janeiro. Parceiro de Vinícius de Moraes, Tom Jobim, Ronaldo Bôscoli, João Gilberto, Roberto Menescal e outros grandes artistas, Carlos é considerado um dos principais nomes da Bossa Nova.

 Autor de clássicos da música popular brasileira como “Coisa mais linda”, “Minha namorada”, “Primavera” e “Você e eu”, o artista deixa a sua marca na história da música brasileira e um repertório de 196 obras musicais e 355 gravações cadastradas no banco de dados da gestão coletiva no Brasil. Seu legado permanecerá vivo em todo o mundo e, neste momento de dor e tristeza, a instituição se solidariza com seus familiares e amigos.

 Como determina a Lei de Direitos Autorais (9.610/98), os herdeiros do Carlos Lyra continuarão a receber os rendimentos relacionados às suas músicas por 70 anos após a sua morte (ou do último autor, em caso de parcerias).