João Pessoa 23.13ºC
Campina Grande 20.9ºC
Patos 20.89ºC
IBOVESPA 119630.44
Euro 5.7882
Dólar 5.441
Peso 0.006
Yuan 0.7499
Casal Braiscompany e brokers da empresa têm segredos expostos em perfil nas redes sociais
28/02/2023 / 11:23
Compartilhe:

Possíveis segredos de bastidores da Braiscompany estão vindo à tona através de uma conta no Instagram que reúne, atualmente, mais de 6,2 mil seguidores. “Aqui saberão diversos relatos verídicos de como a empresa está sendo conduzida nas suas entranhas e está arruinando a vida de muitas famílias”, diz a descrição da página.

Em uma série de stories publicados entre a segunda-feira (27) e esta terça-feira (28.02), o(s) administrador(s) da página responde perguntas de seguidores sobre o casal de sócios, Antônio Neto Ais e Fabrícia Ais, além de brokers da empresa, colaboradores e investidores.

Antônio e Fabrícia são foragidos da justiça e tiveram os seus pedidos de prisões temporárias convertidas em preventivas. O juiz Vinício Costa Vidor, da 4ª Vara da Justiça Federal em Campina Grande, solicitou que a Polícia Federal na Paraíba envie aviso à Interpol para que o casal possa ser procurado em outros países.

Atraindo investidores sob a promessa de investimentos em criptomoedas com retorno de 8% ao mês, a empresa é investigada por suposto esquema de pirâmide financeira, crimes contra o sistema financeiro e o mercado de capitais. O caso ganhou repercussão após atrasos nos pagamentos de clientes, em dezembro. Segundo a Polícia Federal, cerca de R$ 1,5 bilhão em criptoativos foram movimentados nos últimos 4 anos, em contas vinculadas aos suspeitos.

O que diz a “Braiscompany Confidencial”?

O perfil afirma em um dos stories que “o buraco é muito mais embaixo do que vocês imaginam” e chama Antonio de “sociopata” que “enganou muitas pessoas que confiaram a vida a eles”.

Acrescenta, no entanto, que “Neto sempre foi fantoche na mão de Fabricia. Quem de fato mandava na empresa era ela. Toda decisão passava por ela. Já existiu situações dele falar algo e ela dizer que não e acabou! Ela de fato seria a maior culpada… Ele era apenas um ótimo vendedor e ótimo mentiroso”, diz em resposta a uma pergunta sobre quem seria o maior responsável por “quebrar” a Braiscompany.

Golpe e pirâmide financeira

Segundo a página, a empresa nem sempre se tratou de um “golpe”, mas teria se transformado em “algo insustentável” pela má gestão de Fabricia Ais. Também acrescenta que a Braiscompany tinha capital para pagar as pessoas. “A pergunta correta é: O que o Antonio fez com o dinheiro que sim, estava lá. E porque não dá nenhuma satisfação?”, deixou no ar.

“Detalhe que não era pirâmide, mas Neto e Fabricia erraram muito na gestão”, responde a um internauta que questionou sobre a suspeita de pirâmide financeira. “Veja bem, se fosse tudo planejado ele teria fugido muito antes, quando tudo fosse exposto ele já estaria em Dubai. Ele simplesmente meteu os pés pelas mãos! Desorganização, não soube gerir a empresa! Teria ido embora numa paz com a família sem passar nenhuma vergonha”.

O perfil também fala em “interesses políticos” envolvendo a corretora de criptoativos e diz que Antonio chegou a pagar mais de R$ 2 milhões após ser ameaçado por um político que seria dono de uma grande empresa. Neto teria sido ameaçado de morte por mais do que apenas um milionário.

Veja prints com algumas das publicações: