Casos de depressão e ansiedade aumentaram na pandemia; mulheres e jovens são os mais afetados

As mulheres e os jovens entre 20 e 24 anos foram os mais afetados.

SÍLVIA HAIDAR

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Uma pesquisa publicada na revista científica The Lancet, na sexta-feira (8), mostra que os casos de depressão aumentaram 28% e os de ansiedade 26% no mundo todo durante a pandemia da Covid-19. As mulheres e os jovens entre 20 e 24 anos foram os mais afetados.

Leia Também

O estudo é liderado por Damian Santomauro, da Escola de Saúde Pública da Faculdade de Medicina da Universidade de Queensland, na Austrália, e envolveu mais 65 pesquisadores. A equipe internacional se baseou em 48 relatórios, publicados entre 1º de janeiro de 2020 e 29 de janeiro de 2021, que incluíam dados sobre a prevalência de transtornos depressivos ou de ansiedade em 204 países e territórios diferentes antes e durante a pandemia.

O grupo também analisou como essas mudanças na prevalência foram associadas aos marcadores do impacto da pandemia, como a mobilidade humana e a taxa de infecção diária.

“Este é, até onde sabemos, o primeiro estudo a identificar e analisar sistematicamente os dados da pesquisa de saúde mental da população e quantificar o impacto resultante da pandemia da Covid-19 na prevalência desses dois transtornos por localização, idade e sexo em 2020”, escreveram os autores.

A equipe encabeçada por Santomauro estima que ocorreram 246 milhões de casos de transtorno depressivo maior e 374 milhões de casos de transtornos de ansiedade em todo o mundo em 2020 –o aumento do primeiro foi 28% e o do segundo 26% maior do que o esperado se a pandemia não tivesse existido.

Cerca de dois terços (66,67%) desses casos extras de transtorno depressivo e 68% dos casos de ansiedade ocorreram entre mulheres. Os jovens foram mais afetados do que os adultos mais velhos, com casos extras em pessoas entre 20 e 24 anos.

“As responsabilidades adicionais de cuidar da família devido ao fechamento de escolas ou doenças de familiares têm maior probabilidade de recair sobre as mulheres. Elas têm maior probabilidade de sofrer desvantagens financeiras durante a pandemia devido a salários mais baixos, menos economias e empregos menos seguros do que os homens”, observaram os autores. “As mulheres também são mais propensas a serem vítimas de violência doméstica, cuja prevalência aumentou durante o confinamento.”

“Também estimamos uma mudança maior na prevalência de transtorno depressivo maior e transtornos de ansiedade entre grupos mais jovens do que entre grupos de idade mais avançada. A Unesco declarou a Covid-19 como a interrupção mais severa da educação global na história, estimando que 1,6 bilhão de alunos em mais de 190 países ficaram totalmente ou parcialmente fora da escola em 2020. Com o fechamento de escolas e restrições sociais mais amplas, os jovens foram impedidos de se reunir em espaços físicos, afetando sua capacidade de aprender e de interação com os pares. Além disso, os jovens têm maior probabilidade de ficar desempregados durante e após as crises econômicas do que as pessoas mais velhas”, relata o estudo.

A pesquisa conclui que “a pandemia gerou uma urgência cada vez maior para fortalecer os sistemas de saúde mental na maioria dos países. As estratégias de mitigação podem incorporar maneiras de promover o bem-estar mental e direcionar os determinantes de saúde mental precária e intervenções para tratar pessoas com transtorno mental. Não tomar medidas para lidar com o fardo do transtorno depressivo maior e dos transtornos de ansiedade não deve ser uma opção”.

O levantamento foi financiado pelo Queensland Health, Conselho Nacional de Saúde e Pesquisa Médica e pela Fundação Bill e Melinda Gates.

#PUBLICIDADE#

Mais Lidas

WILLOW e Avril Lavigne celebram o pop punk dos anos 2000 no clipe de ‘G R O W’

Com 2 minutos e 9 segundos de duração, o vídeo traz as artistas celebrando o direito a confusão e ao amadurecimento, enquanto viram gigantes e dominam as ruas de um bairro. "Estou tão animada por ter uma música no álbum com Avril Lavigne. Ela é tão icônica. Dos 13 aos 16, ela era meu ídolo. É muito bom poder ter um verdadeiro álbum Pop Punk com a rainha do Pop Punk", disse a artista em entrevista de divulgação. A estética e sonoridade pop punk e rock expressos por WILLOW em 'Lately I Feel EVERYTHING' canalizam os heróis que a jovem ouvia na adolescência, como Lavigne, My Chemical Romance e Paramore. O disco evidencia a versatilidade e rebeldia da "filha de Will Smith", que já dominou as paradas pop mainstream no início da carreira e passeia com fluidez do new age ao punk e R&B.

Hospital Napoleão Laureano fornecerá 1000 mamografias à população durante o Outubro Rosa

O diagnóstico precoce é um importante caminho para prevenir e salvar vidas e o Hospital Laureano, o maior centro de tratamento oncológico da Paraíba, tem uma atenção ainda mais reforçada durante a campanha do Outubro Rosa. 

Celeiro Espaço Criativo terá o nome do cantor Gabriel Diniz e inaugura memorial em homenagem ao artista

A cerimônia contará ainda com a abertura de uma exposição fotográfica que relembra a trajetória do cantor, que faleceu em maio de 2019. Intitulada "A Intensidade do ser: Gabriel Diniz", a mostra trará, além de imagens, objetos pessoais do cantor, para relembrar ao público traços da vida pessoal e profissional do artista. O evento está marcado para acontecer a partir das 17h, no Celeiro Espaço Criativo, situado à Rua João Cirilo da Silva, 850, no Altiplano. A exposição acontece paralelamente à inauguração de um memorial em homenagem ao cantor, que faleceu no dia 27 de maio de 2019, vítima de um acidente aéreo na região de manguezal de Porto do Mato, próximo à divisa entre Sergipe e Bahia. O evento ainda vai contar apresentações musicais do cantor Luca Bass, Banda Big Band e ainda uma apresentação especial de Brenda Victória da Silva Beltrão, 14 anos, aluna da Escola Municipal Cícero Leite.

Globo perde exclusividade de direitos digitais da Copa do Mundo de 2022

Após ir à Justiça contra a Fifa para reduzir o valor das parcelas de seu acordo de TV pela Copa do Mundo, a Globo renunciou à exclusividade nos direitos de transmissão pela internet do torneio no Qatar, que será realizado de 21 de novembro a 18 de dezembro do ano que vem. Com isso, a entidade que controla o futebol mundial tem oferecido pacotes de jogos da competição por streaming diretamente às plataformas digitais no Brasil. Youtube, Facebook e TikTok, por exemplo, já foram procurados e estudam a viabilidade do negócio. A emissora carioca continuará exibindo as partidas do Mundial na televisão aberta e no seu canal esportivo por assinatura, o Sportv. No entanto, não terá exclusividade nas plataformas digitais, seja no Globoplay (streaming) -o app tem sido uma grande aposta do grupo- ou em seus portais na internet, que transmitiram jogos ao vivo das Copas de 2010, 2014 e 2018. É a primeira vez que a Fifa assume a negociação dos direitos da Copa do Mundo com redes sociais, e o Brasil tem sido uma oportunidade para a entidade experimentar o modelo.

Rebeca lidera em 2 aparelhos e vai a 3 finais no Mundial de ginástica

Em Kitakyushu, no Japão, ela se apresentou na etapa classificatória na noite desta segunda (18). Avançou na liderança no salto, em que conquistou a medalha de ouro nas Olimpíadas de Tóquio (média das notas 14,800), e também nas barras assimétricas (nota 15,100). Na trave, seu aparelho de pior desempenho, Rebeca ainda conseguiu garantir a oitava e última vaga na final, com 13,400.
#PUBLICIDADE#

ACHAMOS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

#PUBLICIDADE#