João Pessoa 26.13ºC
Campina Grande 24.9ºC
Patos 30.65ºC
IBOVESPA 126419.3
Euro 5.9219
Dólar 5.4758
Peso 0.006
Yuan 0.7533
Cátia de França está em lista dos 17 álbuns imperdíveis de 2024 até agora
06/07/2024 / 00:34
Compartilhe:
Cátia de França está em lista de melhores discos do ano – Crédito: Murilo Alvesso

Cátia de França teve o novo trabalho No Rastro de Catarina escolhido, pelo jornal O Globo, como um dos 17 álbuns imperdíveis do primeiro semestre de 2024. Na crítica sobre o novo álbum da paraibana, o jornal identifica a “psicodelia quase setentista e energia de adolescente”.

A lista ainda tem artistas de diferentes gêneros musicais. Além da MPB, compõe a seleção músicos do pop, jazz, rap e funk. De Amaro Freitas a Beyoncé. A crítica do jornal O Globo destaca o processo de criação de ‘No Rastro de Catarina’, que foi lançado em abril pelo selo paraibano Tuim Discos.

“Descoberta por toda uma nova geração a partir do relançamento em LP, em 2021, de ’20 palavras ao redor do Sol’ (1979), Cátia mexeu nos arquivos e encontrou composições das mais diferentes épocas. Algumas, bem antigas, como ‘Indecisão’, um poema romântico que escreveu em 1962, aos 14 anos, e só agora musicou. Já ‘Negritude’, de 1972, surpreende pela força da letra: ‘Já não tenho medo/ minha pele agora é minha lei/ meu cabelo é diferente/ a vasta mistura me torna mais gente’”, resume a matéria de O Globo.

‘No Rastro de Catarina’ tem 12 músicas e foi gravado ao vivo em João Pessoa, no Estúdio Peixeboi, com a produção do selo Tuim Discos. Desde seu lançamento, em abril desse ano, o disco já soma mais de 180 mil players nas plataformas de streamings.

As 12 faixas percorrem toda a história da artista, desde ‘Indecisão’, um poema de amor escrito quando Cátia tinha 14 anos e só agora musicado, ao mergulho em seu envelhecimento com ‘Malakuyawa’, cantando sobre seus cabelos brancos, veias aparentes e sorriso sem dentes.

O trabalho contou com os músicos Cristiano Oliveira (viola, violão e violão de aço), Marcelo Macêdo (guitarra e violão de aço), Elma Virgínia (baixo acústico, baixo elétrico e fretless), Beto Preah (bateria e percussões) e Chico Correa (sintetizadores), que também assina a produção musical do disco ao lado de Marcelo Macêdo. O disco ainda tem a participação de Gláucia Lima no vocal, Dina Faria na direção artística e Felipe Tichauer na masterização.

Receba as notícias do F5Online no WhatsApp

Crédito: Murilo Alvesso