João Pessoa 23.13ºC
Campina Grande 20.9ºC
Patos 20.57ºC
IBOVESPA 121407.33
Euro 5.7252
Dólar 5.3016
Peso 0.0059
Yuan 0.7317
Celular Seguro chega a 50 mil alertas de roubo, furto ou perda de aparelhos
21/05/2024 / 17:02
Compartilhe:
Imagem: Reprodução/G1

O Celular Seguro, ferramenta criada pelo governo federal que bloqueia smartphones a pedido de seus donos, chegou a 50 mil alertas de roubo, furto ou perda de aparelhos. O programa tem mais de 2 milhões de usuários cadastrados.

As informações foram divulgadas nesta terça-feira (21) pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, que lançou o Celular Seguro em dezembro de 2023.

O programa está disponível no Android, no iPhone (iOS) e em uma versão para navegadores, no site do governo.

A ferramenta oferece uma espécie de “botão de emergência”, que permite comunicar roubo, furto ou perda do celular e pedir o bloqueio de aplicativos de banco e da linha telefônica. Esse alerta pode ser feito pelo dono do celular ou por uma pessoa de sua confiança.

Veja números sobre o Celular Seguro (até as 16h desta terça):

50.347 alertas de bloqueio
2.032.603 usuários cadastrados
1.626.679 telefones cadastrados
1.434.251 pessoas de confiança cadastradas


Atualização no Celular Seguro

Em abril, o programa ganhou uma atualização para facilitar o cadastro de celulares. Agora, usuários só precisam cadastrar dados como número do telefone, nome da operadora e marca do dispositivo.

Até então, o serviço também exigia informações sobre o modelo do aparelho e o IMEI (sigla em inglês que significa “Identidade Internacional de Equipamento Móvel”), um código de identificação do celular.

Android terá ‘modo ladrão’ que bloqueia tela do celular caso alguém o arranque de sua mão
O Ministério da Justiça e Segurança Pública também planeja trazer ao Celular Seguro um protocolo usado no Piauí para rastrear e recuperar celulares roubados.

Com ele, as operadoras fornecem informações sobre linhas habilitadas em celulares que aparecem na lista de aparelhos roubados. Depois, o receptador, ou seja, quem está usando o dispositivo, é intimado a comparecer a uma delegacia para esclarecer o caso.

Caso não apresente a nota fiscal do aparelho, ele precisa entregar o telefone para autoridades, que o encaminham aos verdadeiros donos.

A pasta discute ainda com as operadoras Claro, Vivo, Tim e Oi uma possibilidade de bloquear linhas telefônicas em aparelhos roubados. Hoje, o bloqueio é restrito ao aparelho e é feito pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

*Informações G1

Receba as notícias do F5Online no WhatsApp