22.1 C
João Pessoa

Com aumento de internações, São Paulo volta a recomendar uso de máscaras em locais fechados

O fim da obrigatoriedade do uso de máscaras em locais fechados foi decretado pelo ex-governador João Doria (PSDB) em 17 de março em reação ao arrefecimento da pandemia no estado

O Comitê de Contingência da Covid-19 do governo paulista recomendou a volta do uso de máscaras em locais fechados em todo estado diante da tendência de crescimento de casos nas últimas semanas.

O assunto foi abordado em um encontro entre o governador Rodrigo Garcia (PSDB) e especialistas que integram a recém-criada Secretaria de Ciência, Pesquisa e Desenvolvimento em Saúde, à qual o comitê é vinculado, no Palácio dos Bandeirantes, na tarde desta terça-feira (31).

Leia Também

“A Secretaria de Ciência, Pesquisa e Desenvolvimento em Saúde através do Comitê Científico do Estado de São Paulo recomendou o retorno do uso de máscaras em estabelecimentos fechados sem caráter obrigatório, não modificando a legislação vigente em São Paulo da utilização apenas em ambientes hospitalares e no transporte coletivo”, afirmou o governo em nota.

O fim da obrigatoriedade do uso de máscaras em locais fechados foi decretado pelo ex-governador João Doria (PSDB) em 17 de março em reação ao arrefecimento da pandemia no estado.

“Apesar do cenário favorável com relação aos três primeiros meses do ano, o Comitê tem verificado um crescimento no número de casos e hospitalizações, sem crescimento de óbitos proporcional graças à ampla cobertura vacinal do Estado de São Paulo referência e líder mundial em vacinação”, diz a nota que anuncia a recomendação.

Perguntado sobre a diretriz, o secretário municipal da Saúde, Luiz Carlos Zamarco, afirmou vai antecipar para esta quarta-feira (1º) a reunião semanal que discute a pandemia para definir se a capital paulista acompanhará a recomendação do estado.

A gestão Ricardo Nunes (MDB) vem flexibilizando o uso da máscara na capital paulista. No último dia 14, a prefeitura acabou com a obrigatoriedade do uso de máscaras em táxis e carros de aplicativos. O item de proteção continua obrigatório no transporte coletivo e em serviços de saúde, como postos e hospitais.

Dados da plataforma SP Covid-19 Info Tracker, criada por pesquisadores da USP e da Unesp com apoio da Fapesp para acompanhar a evolução da pandemia, mostram que a média móvel de novas internações (UTI e enfermaria) aumentou 74% no estado de São Paulo em três semanas. Foram comparados os dias 6 e 27 de maio, quando as médias alcançaram 176 e 306, respectivamente.

O médico João Gabbardo, coordenador executivo do Comitê Científico do governo estadual, disse à Folha que o recente aumento de novos casos e o número de internações levaram a entidade a adotar a recomendação. No entanto, ele afasta a hipótese de uma nova onda de infecção.

“Nessa última semana tivemos aumento de 40% de internações em São Paulo, e 80% de transmissibilidade”, afirma Gabbardo. “Felizmente a vacinação contribui para que o aumento de internação não ocorra na mesma proporção. Por isso, é só uma recomendação.”

A orientação, segundo ele, deve ser utilizada em ambientes abertos onde houver aglomeração. A capital recebeu neste final de semana a Virada Cultural, e a gestão Ricardo Nunes (MDB) pretende realizar uma edição do Carnaval em julho. Além disso, estão previstos ainda a Parada LGBT e a Marcha Para Jesus na cidade nos próximos meses.

Segundo a coluna Mônica Bergamo, o número de casos notificados de Covid-19 no estado de São Paulo quase dobrou de uma semana para a outra, segundo dados oficiais analisados pelo comitê científico. A média diária de novas infecções na semana passada chegou a 4.830, contra 2.622 da semana anterior, num salto de 84,2%.

Nesta segunda-feira (30), o Brasil registrou a maior média móvel de casos de Covid desde o fim de março, 24.993 infecções por dia, um crescimento de 31% em relação ao dado de duas semanas atrás.

Foi o maior valor desde 31 de março, quando a média era de 25.910 casos diários.

Desde 12 de maio, o comitê de contingência paulista está vinculado à Secretaria Estadual de Ciência, Pesquisa e Desenvolvimento em Saúde, criada para planejar medidas de saúde e pesquisas para o enfrentamento de doenças infecciosas. A pasta é comandada pelo infectologista David Uip, que já chefiou a comissão de contingência no governo Doria.

Com informações da Folha de S. Paulo

#PUBLICIDADE#

Mais Lidas

Pesquisa OPUS: João Azevedo cai e Pedro encosta. Nilvan e Veneziano empatam

Pesquisa do Instituto Opus, contratada pelo Portal da Capital, traz os primeiros números do atual cenário da corrida eleitoral...

Resultado de pesquisa para governador da Paraíba já tem data para ser divulgada; veja

A corrida eleitoral para governador e senador na Paraíba vai ter a primeira pesquisa contratada pelas TVs Paraíba e Cabo Branco, que compõem a...

ENQUETE F5: Ricardo Coutinho lidera preferência na disputa ao Senado pela Paraíba

Enquete realizada pelo portal F5 Online sobre intenção de voto para os candidatos ao Senado na Paraíba mostra o ex-governador Ricardo Coutinho (PT) na...

Instituto Opus: Ricardo Coutinho lidera primeira pesquisa para o senado na Paraíba; Efraim cresce

Pesquisa do Instituto Opus, contratada pelo @portaldacapital, traz os primeiros números da Paraíba sobre a disputa ao Senado Federal. O levantamento realizou mil entrevistas...

DATAVOX: João Azevêdo lidera com 40,7% das intenções de voto na 1ª pesquisa para governo da PB em 2022

Realizada em parceria entre o Instituto Datavox e o portal PB Agora, a pesquisa aponta o deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB) em segundo lugar, com 14,2%. Em seguida vem o senador Veneziano Vital (MDB), com 6,6%, o ex-prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PT) com 5,9%, Nilvan Ferreira (PTB) com 3,2% e a vice-governadora do estado, Lígia Feliciano (PDT) com 1%. Indecisos somam 20,3%, enquanto brancos e nulos representam 8,1%.
#PUBLICIDADE#

ACHAMOS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

#PUBLICIDADE#