24.1 C
João Pessoa
21.9 C
Campina Grande
21.5 C
Brasília

DATAFOLHA-ECONOMIA: Mais de um terço dos brasileiros dizem acreditar que a sua situação econômica vai piorar, aponta Datafolha

19/03/2021

EDUARDO CUCOLO

Leia Também

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Pesquisa Datafolha mostra que o percentual de brasileiros que esperam uma piora na sua situação econômica passou de 22% em dezembro para 38% em março deste ano, um dos piores resultados registrados nas pesquisas sobre o tema, que têm início em 1997.

Os percentuais acima desse patamar só foram registrados no início de 2006, de 40% no governo Lula, e em 2014, de 41% no primeiro mandato da presidente Dilma Rousseff. No primeiro caso, vivia-se o fim de um período de crise econômica. No segundo, o início de outra.

A nova pesquisa também mostra que a expectativa de melhora na própria situação econômica caiu de 31% em dezembro do ano passado para 14% em março deste ano, ponto mais baixo da série histórica.

Para outros 47%, a sua situação financeira vai ficar como está. Eram 46% na pesquisa anterior.

O pessimismo é maior entre as mulheres (41%) do que entre os homens (33%); entre as pessoas com renda familiar de até dois salários mínimos (44%) do que entre os com renda superior a dez salários (23%); no Sul (39%) e Nordeste (40%) do que no Norte/Centro-Oeste (34%), além de chegar a 53% entre os desempregados.

Atinge 43% entre os que receberam auxílio emergencial em 2020 e cai para 35% entre os que não pediram o benefício.

Entre aqueles que acham que sua situação vai melhorar, os maiores percentuais estão entre empresários (26%) e estudantes (24%), renda superior a dez salários mínimos (22%), moradores do Norte/Centro-Oeste (20%), evangélicos (18%), pessoas que dizem não ter medo do coronavírus (23%) e/ou que avaliam o presidente como ótimo/bom (21%).

A piora na expectativa sobre a situação financeira da maioria dos entrevistados se dá em um momento de agravamento da crise sanitária, com recordes de mortes, novas medidas de restrição de circulação e atraso no cronograma de vacinação.

O sucesso da vacinação é apontado pela própria equipe econômica do governo Jair Bolsonaro (sem partido) como única política capaz de recuperar a economia.

O país também vive desde o ano passado uma nova recessão, com expectativa de crescimento insuficiente para recuperar as perdas da crise, desemprego recorde e a volta da inflação após a disparada do dólar.

Outra questão que atinge o otimismo dos brasileiros é o fim do pagamento do auxílio emergencial, que será reeditado neste ano com valores menores e com prazos e público mais restrito.

O país também é alvo da desconfiança de investidores, por conta da recuperação incerta e dos riscos fiscais diante da resistência de Bolsonaro e do Congresso em adotar medidas de ajustes nas contas públicas, como mostraram a votação recente da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) Emergencial e a derrubada de vetos presidenciais estimulada pelo próprio presidente para favorecer igrejas.

A pesquisa foi realizada antes de o Banco Central anunciar o primeiro aumento da taxa básica de juros em seis anos e dizer que a Selic deve continuar subindo nos próximos meses, devido ao risco de descontrole inflacionário, apesar da economia ainda fraca.

O levantamento mostrou que a piora da crise sanitária, com seus efeitos econômicos, afetou diretamente a popularidade de Bolsonaro desde o começo deste ano. Tanto a rejeição ao presidente no geral quanto no seu manejo da pandemia estão em níveis recordes: 44% e 54%, respectivamente.

Segundo o Datafolha, caiu para 50% o percentual da população que não quer que o Congresso abra um processo de impeachment contra Bolsonaro, enquanto 46% se dizem favoráveis à medida em meio à deterioração da pandemia no país.

A pesquisa telefônica Datafolha foi realizada nos dias 15 e 16 de março de 2021, com 2.023 brasileiros em todo o país. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

#PUBLICIDADE#

Mais Lidas

ENQUETE F5: Se as eleições fossem hoje Pedro Cunha Lima seria o novo governador da Paraíba

O programa F5 da Rádio POP FM realizou uma enquete com os ouvintes e expectadores que acompanharam a transmissão...

DATAVOX: João Azevêdo lidera com 40,7% das intenções de voto na 1ª pesquisa para governo da PB em 2022

Realizada em parceria entre o Instituto Datavox e o portal PB Agora, a pesquisa aponta o deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB) em segundo lugar, com 14,2%. Em seguida vem o senador Veneziano Vital (MDB), com 6,6%, o ex-prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PT) com 5,9%, Nilvan Ferreira (PTB) com 3,2% e a vice-governadora do estado, Lígia Feliciano (PDT) com 1%. Indecisos somam 20,3%, enquanto brancos e nulos representam 8,1%.

15 possíveis temas de redação para o Enem 2022

O Portal Nacional da Educação divulgou uma lista com os possíveis temas de redação para as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem),...

Polícial Rodoviária Federal morre em Cabedelo

A policial rodoviária federal Renata Maia Pimenta, de 42 anos, morreu na noite desta sexta-feira (20) no prédio onde morava em Cabedelo. A informação...

Palco desaba e deixa formandos de medicina feridos na Grande João Pessoa

Duas  pessoas  foram socorridas com traumatismo craniano encefálico (TCE) após parte da estrutura de um palco desabar, no final da tarde deste sábado (21),...
#PUBLICIDADE#

ACHAMOS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

#PUBLICIDADE#