João Pessoa 24.13ºC
Campina Grande 21.9ºC
Patos 26.16ºC
IBOVESPA 124305.57
Euro 5.6025
Dólar 5.1645
Peso 0.0058
Yuan 0.7135
Debate na Band: Auxílio Brasil, corrupção e ataque a jornalista são destaques
29/08/2022 / 01:33
Compartilhe:

O primeiro debate de 2022 entre os candidatos à Presidência da República reuniu, na noite deste domingo (28), Jair Bolsonaro (PL), Lula (PT), Ciro Gomes (PDT), Simone Tebet (MDB), Felipe d’Avila(Novo) e Soraya Thronicke (União). O evento foi promovido pelo grupo Bandeirantes junto à Folha de São Paulo, Uol e TV Cultura.

Entre os momentos mais comentados dos embates, estão trechos sobre o valor concedido no Auxílio Brasil, a corrupção nos governos do PT e no Ministério da Saúde de Jair Bolsonaro e um ataque do presidente à jornalista Vera Magalhães, ao vivo. 

Já no primeiro bloco, o primeiro confronto entre Bolsonaro e Lula rendeu ataques de ambos os lados sobre corrupção. “O senhor quer voltar para quê? Para continuar fazendo a mesma coisa na Petrobras?”, perguntou o presidente ao petista. O ex-presidente rebateu afirmando que havia, no seu governo, mecanismos mais eficazes de combate à corrupção. Em outro momento, Lula chegou a dizer que Bolsonaro estava “destruindo o país”.

Dentro das acusações ao governo de Jair Bolsonaro, destacou-se a fala da candidata Simone Tebet sobre a condução do Ministério da Saúde na crise da pandemia. “Eu vi um escândalo de corrupção na compra de vacinas“, disse a emedebista. Em outra fala, ela explicitou: “Eu estava na CPI, estudei os documentos, atraso de 45 dias na compra de vacina. Quantas famílias perderam os filhos e filhos perderam pais? Não vi o presidente pegar a moto dele e entrar em um hospital para abraçar ao menos uma mãe que perdeu o filho”.

Candidatos Lula (PT) e Jair Bolsonaro (PL). Imagem: Reprodução YouTube

Auxílio Emergencial 

O tema Auxílio Brasil também foi bastante explorado entre os candidatos. Assim como na maior parte do debate, Bolsonaro e Lula foram os alvos preferenciais, também diante desse assunto. 

“É importante lembrar que a manutenção dos R$ 600 não está na LDO [Lei de Diretrizes Orçamentárias] que foi mandada para o Congresso Nacional. Ou seja, significa que existe uma mentira no ar”, disse o ex-presidente Lula ao comentar a resposta de Jair Bolsonaro afirmando a manutenção do atual valor do auxílio.

A candidata Soraya Thronicke também criticou o presidente sobre esse tema: “Eu já estou vacinada contra mentiras e não virei jacaré. O Governo Federal propôs R$ 200 de Auxílio Emergencial. Quem subiu para R$ 600 e quem tá botando no bolso dos brasileiros somos nós, senadores e deputados”.

Ataque do presidente a uma jornalista

Após a pergunta da jornalista Vera Magalhães, da TV Cultura, a Ciro Gomes sobre pandemia e vacinação, na qual ela citou as autoridades que desacreditaram as vacinas, o presidente Jair Bolsonaro a atacou, com um tom de voz elevado. 

“Vera, eu não podia esperar outra coisa de você, eu acho que você dorme pensando em mim. Você tem alguma paixão por mim. Você não pode tomar partido em um debate como esse, fazer acusações mentirosas a meu respeito. Você é uma vergonha para o jornalismo brasileiro, mas tudo bem”, disse Bolsonaro.

O ataque do presidente gerou manifestações de apoio e solidariedade à jornalista de outros candidatos. Personalidades públicas criticaram, nas redes sociais, a postura de Jair Bolsonaro.

O próximo debate entre candidatos à Presidência da República do grupo Bandeirantes, Folha de São Paulo, Uol e TV Cultura deverá acontecer no dia 9 de outubro, em caso de segundo turno.