João Pessoa 30.13ºC
Campina Grande 28.9ºC
Patos 34.4ºC
IBOVESPA 124305.57
Euro 5.6025
Dólar 5.1645
Peso 0.0058
Yuan 0.7135
Diretório do PSOL em Campina Grande emite posicionamento sobre o segundo turno na Paraíba
20/10/2022 / 09:57
Compartilhe:

O diretório municipal do PSOL de Campina Grande emitiu seu posicionamento sobre o segundo turno das eleições na Paraíba.

Através de carta assinada pelo presidente Nelson Aleixo, o diretório político do partido na cidade afirma que, apesar de ter feito oposição a João Azevêdo (PSB) durante seu primeiro mandato, manifesta apoio à reeleição do governador.

“Considerando que o candidato João Azevêdo tem se colocado ao lado da democracia e da defesa do estado de direito, o PSOL de Campina Grande entende que votar e defender o
candidato João Azevêdo fortalece a eleição do presidente Lula para derrotar o candidato da extrema direita brasileira”, afirma trecho do documento.

A nota também faz críticas ao deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB), que disputa o segundo turno com Azevêdo. Pedro é apontado como apoiador de Bolsonaro e “um legítimo representante da oligarquia que tem hegemonia em Campina Grande desde os anos 80 e que já governou o Estado por três mandatos”.

No primeiro turno, a legenda teve a professora Adjany Simplicio como candidata ao governo da Paraíba. Ela foi a quinta mais votada no estado, com 9.567 votos.

O diretório municipal destaca ainda que seguirá a decisão do diretório estadual em não reivindicar espaços na composição de um eventual segundo mandato de João Azevêdo.

Leia na íntegra:

PSOL de Campina Grande aprova apoio a João Azevedo

O 1º turno das eleições no dia 02 de outubro marcaram uma importante vitória para os partidos da esquerda brasileira que além de eleger governadores em alguns Estados, passaram para o 2º turno em outros e ampliaram suas bancadas de Deputados Federais e, principalmente, foram vitoriosos com os mais de 57 milhões de votos que fizeram de Lula o mais votado em todo a história do Brasil, e encheu o povo brasileiro de esperança de
poder voltar a sorrir. Nesta eleição, o PSOL elegeu 12 Deputados Federais e ampliou seu espaço enquanto referência de esquerda para milhões de homens e mulheres de todo o país.

Mas o jogo não acabou. Dia 30 de outubro teremos o segundo turno das eleições para presidente e para governador em vários Estados brasileiros. Ou melhor, teremos a eleição que vai definir a cara do Brasil para o restante do século XXI. O povo vai decidir se seremos o país da terra plana, do racismo, machismo e misoginia; caberá aos brasileiros dizer se quer tudo privatizado, um Brasil sem vacina e um estado autocrático, ditatorial, sob o comando das milícias; ou se no século 21 reafirmaremos nossa democracia, ampliando o nosso modelo de Estado de bem-estar social, e, ainda, se seremos uma nação solidária que protege a floresta, os animais e respeita nossa diversidade étnica e multicultural, valorizando e incluindo cada vez mais os indígenas, os negros, as mulheres e as pessoas LGBTQIA+. Apenas Lula 13 será capaz de corrigir os rumos do Brasil para a democracia e a inclusão solidária.

No Estado da Paraíba duas candidaturas disputam o segundo turno. De um lado temos um legítimo representante da oligarquia que tem hegemonia em Campina Grande desde os anos 80 e que já governou o Estado por três mandatos. Esse é o candidato Pedro C Lima. Como Deputado Federal, Pedro votou a favor do Golpe em Dilma, é apoiador de Bolsonaro, votando em todas as suas propostas antipovo. Cunha Lima votou com o governo genocida na reforma da previdência e trabalhista, votou no corte de verbas das políticas públicas ao apoiar a EC 95, foi favorável à cobrança de mensalidades nas universidades públicas e defende abertamente uma política privatizante do patrimônio público brasileiro, sendo assim uma candidatura inimiga do povo e contrária aos interesses da classe trabalhadora.

Do outro lado, temos a candidatura à reeleição de João Azevedo que se, por um lado, fizemos oposição durante todo o seu 1º mandato, por outro é preciso reconhecer o acerto político do governador no combate a pandemia, juntamente com outros governadores(a), a despeito de toda a pressão do governo genocida. Além do enfrentamento ao negacionismo federal, João Azevedo em diversos momentos enfrentou as tentativas, dos prefeitos bolsonaristas Romero Rodrigues e Bruno C. Lima, de burlarem a política de isolamento social e exporem os campinenses ao risco. Ademais, desde o início do processo eleitoral João tem se posicionado ao lado de Lula na disputa presidencial, mesmo que o ex-presidente tenha apoiado outra candidatura no 1º turno. Assim, considerando que o PSOL de Campina Grande não quer ver na Paraíba o modelo desastroso da gestão campinense; considerando que eleger o candidato do PSDB seria revigorar uma velha oligarquia e promoveria o atraso em todos os setores do Estado; considerando que o candidato João Azevedo tem se colocado ao lado da democracia e da defesa do estado de direito, o PSOL de Campina Grande entende que votar e defender o candidato João Azevedo fortalece a eleição do presidente Lula para derrotar o candidato da extrema direita brasileira. No entanto, o Diretório Municipal do Psol de Campina Grande reafirma a decisão do Diretório
Estadual de não reivindicar espaços na composição do futuro governo estadual.

Por fim, chamamos o povo de Campina Grande a votar em Lula 13 e João 40 , pra derrotar Bolsonaro no Brasil, na Paraíba e em Campina Grande.

Nelson Aleixo S. Junior

Pres. DM/PSOL-CG