22.1 C
João Pessoa

Especialista do Comitê Covid João Pessoa esclarece dúvidas comuns da população sobre as vacinas contra a Covid-19

Quem toma alguma das duas vacinas, normalmente pode sofrer apenas pequenas reações, que são eventos comuns a aplicação de qualquer imunizante

A campanha de imunização contra a Covid-19 no Brasil teve início em janeiro deste ano e, desde então, o método tem se mostrado bastante eficaz na prevenção à doença. Ainda assim, existem questionamentos em torno das vacinas, como possíveis reações, quem pode e quem não pode tomar o imunizante e em quais condições ele deve ser evitado. A Prefeitura de João Pessoa, que superou a marca de mais de 226 mil doses aplicadas, conta com o Comitê Covid-19, com especialistas para esclarecer as dúvidas mais comuns da população.

Quem preside o órgão é o médico Fernando Chagas, que explica a fórmula das duas vacinas usadas na campanha de imunização da Prefeitura de João Pessoa, a Coronavac, do Instituto Butantan, e a Astrazeneca, da Oxford, que não oferecem qualquer risco para quem tem algum tipo de alergia alimentar, por exemplo. “Uma é composta por um vírus inativo e a outra por um pedaço do Coronavírus dentro de outro vírus chamado Adenovírus, que não possuem proteínas de leite, ovo ou qualquer substância que se que ofereça risco à população”, disse.

Leia Também

Quem toma alguma das duas vacinas, normalmente pode sofrer apenas pequenas reações, que são eventos comuns a aplicação de qualquer imunizante, alerta Fernando Chagas. “Podem ser dores no local da aplicação, febre, dor no corpo, moleza, que, geralmente, vai durar em torno de dois a três dias. E quando aparecem, são sintomas provocados como resposta do nosso corpo a um microorganismo estranho”, explicou.

Pessoas com doença respiratória como asma, doença pulmonar obstrutiva crônica, em tratamento de tuberculose ou de câncer podem se vacinar normalmente. A vacina deve ser evitada ou adiada quando a pessoa apresentar sintomas de síndromes gripais, como febre, dor no corpo, dor de cabeça, coriza ou problema respiratório, porque pode ser, inclusive, a própria Covid-19. Nesse caso, a vacinação só pode ser feita 30 dias após o aparecimento dos sintomas. Fernando Chagas aconselha a pessoa realizar exame que possa diagnosticar a causa dos problemas para que a vacinação aconteça com segurança.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

#PUBLICIDADE#

Mais Lidas

MADRUGADA DE TERROR: tiroteio e correria na Praça da Paz, nos Bancários; veja o vídeo

A madrugada não foi nada tranquila na Praça de Paz, no bairro dos Bancários, em João Pessoa. Vídeos que circulam...

UNIMED nega testes da Covid para usuários do plano em João Pessoa

Em recente comunicado da Unimed João Pessoa para seus clientes, a operadora diz que há escassez de insumos necessários para realização de testes Covid....

Juliette vira personagem de jogo online desenvolvido por estudante paraibano

“Tenho trabalhado cerca de 6 horas por dia no jogo, todos os dias. Criando o conceito, desenhos, animações, programação e gravando, editando pra postar no Instagram. [Na vida real] é lógico que ela vai sair campeã da casa, a quantidade de cactos [apelido dos fãs da participante] só vai aumentar e ela vai continuar sendo o fenômeno que é, mesmo após o fim do programa”, explica o estudante. 

Unimed-JP nega suspensão dos serviços de telemedicina em sua plataforma

O presidente da Unimed João Pessoa, Gualter Ramalho, disse nesta terça-feira ao portal F5 Online que não houve suspensão nos serviços de telemedicina da Cooperativa e sim uma expansão de atendimento.  Em nota enviada à redação do F5, Gualter Ramalho diz que "Em momento algum houve suspensão ou paralisação no atendimento dos serviços de medicina pela Unimed João Pessoa". 

Nas redes, Veneziano já é candidato a governador

O vice-presidente do Senado Federal ainda não confirmou se disputará ou não o Palácio da Redenção, mas as fotos divulgadas ao lado do presidenciável Lula (PT), nesta terça-feira (25), alimentam as discussões sobre a candidatura do emedebista com possível apoio do PT. Da parte da mãe de Veneziano, a senadora Nilda Gondim (MDB), não falta torcida. Em entrevista à Rede Mais Rádio, na noite de ontem, Nilda reforçou suas apostas na candidatura do filho e disse que ele tem aval do presidente nacional da legenda, Baleia Rossi. “Nosso presidente, Baleia Rossi, torce muito por Veneziano para que ele se lance ao Governo do Estado. Veneziano sempre esteve apto para isso. Ele perdeu uma grande oportunidade em 2014 e tem um grande sonho de ser governador do Estado [...] Acredito que nos próximos dias ele define isso. Acredito que não vai demorar. Ele está mantendo os contatos que precisa manter", disse Nilda.
#PUBLICIDADE#

ACHAMOS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

#PUBLICIDADE#