João Pessoa 23.13ºC
Campina Grande 20.9ºC
Patos 21.17ºC
IBOVESPA 119630.44
Euro 5.7882
Dólar 5.441
Peso 0.006
Yuan 0.7499
ETERNO: Conheça a história de Pelé
29/12/2022 / 16:26
Compartilhe:

 

Eterno rei do futebol, ele ganhou projeção no Santos e se consagrou na seleção brasileira. Foi o único atleta na história a ganhar três Copas como jogador.

Edson Arantes do Nascimento nasceu no dia 23 de outubro de 1940 em Três Corações, no sul de Minas Gerais, em uma família humilde, filho de Celeste e de João Ramos do Nascimento, jogador de futebol conhecido como Donadinho.

 

Desde criança, já com o apelido de Pelé, ele queria seguir os passos do pai no esporte. Sua família se mudou para Bauru, no interior de São Paulo, e lá ele começou a carreira no futebol amador de campo e de salão.

Aos 15 anos, Pelé foi levado para fazer um teste no Santos. Foi contratado pelo clube em 1956 e já começou a se destacar na equipe. No ano seguinte, foi convocado para a seleção brasileira, que se preparava para a Copa de 58.

Aos 17 anos, ele foi para a Copa na Suécia e, mesmo sendo reserva nos dois primeiros jogos, marcou seis gols e ajudou o Brasil a ser campeão pela primeira vez. No ano seguinte, foi artilheiro do Campeonato Sul-Americano de Futebol de 1959.

Pelé em cena do filme 'Fuga para vitória' — Foto: Reprodução/IMDB

Pelé em cena do filme ‘Fuga para vitória’ — Foto: Reprodução/IMDB

Na Copa de 1962 no Chile, consagrado no Santos, ele fez uma boa partida contra o México na estreia, mas sofreu uma distensão muscular contra a Tchecoslováquia e não jogou o resto do torneio. Em 1966, também sofreu lesões nos jogos contra a Bulgária e Portugal.

Em 1970, já chamado de o “rei do futebol”, Pelé viveu o auge da sua carreira na Copa do México aos 29 anos. Em seis jogos, ele fez quatro gols, seis assistências, encantou o mundo e ajudou o Brasil a levar o tricampeonato.

Com a taça, se tornou o único atleta na história a ganhar três Copas como jogador.

Pelé em entrevista sobre os 50 anos do título mundial de 1958. Foto de 29/5/08 — Foto: Fernanda Luz/Arquivo A Tribuna

Pelé em entrevista sobre os 50 anos do título mundial de 1958. Foto de 29/5/08 — Foto: Fernanda Luz/Arquivo A Tribuna

Quando chegou ao Santos, o time era o bicampeão paulista, em uma época em que os estaduais eram os mais importantes do calendário.

Mesmo assim, levou apenas um mês para estrear na equipe principal. Em um amistoso contra o Corinthians de Santo André, entrou no segundo tempo e marcou o sexto gol da vitória por 7 a 1 – seu primeiro com a camisa santista.

Ao longo de sua carreira no Santos, ganhou 23 títulos com o time, e se sagrou artilheiro em grande parte deles. Nesses 18 anos, marcou 1.088 gols em 1114 partidas, com uma média de 0,97 por jogo.

Os grandes destaques, além dos estaduais, ficam com as conquistas das Libertadores e dos Mundiais Interclubes de 1962 e 1963.

Em de outubro de 1974, Pelé fez sua última partida em solo brasileiro. Com a camisa alvinegra santista, participou da vitória sobre a Ponte Preta por 2 a 0.

No ano seguinte, estreava pelo Cosmos, de Nova York. Apesar de estar longe de sua melhor forma física, ajudou a popularizar o esporte nos Estados Unidos.

Lá se aposentaria em uma partida que envolvia os dois clubes pelo qual jogou em frente a um público de cerca de 60 mil pessoas. Em 1977, vestiu a camisa do Cosmos no primeiro tempo e marcou um gol. No segundo tempo, defendeu o Santos.

Sua despedida da seleção brasileira veio apenas em 1990. Aos 50 anos, Pelé jogou um amistoso na Itália contra um combinado de jogadores estrangeiros.

Ao fim de sua carreira, ele registrava a marca de 1.365 jogos, com 1.283 gols. Pelé então se tornou um embaixador mundial do esporte. O ex-jogador foi ministro do Esporte entre 1995 e 1998, após aceitar convite do então presidente Fernando Henrique Cardoso.

Estrela nos gramados, Pelé também brilhou em diversas campanhas publicitárias e participou de filmes e de gravações musicais.