Facebook tira do ar 39 milhões de posts de clientes da mLabs

Também foram desativadas as páginas oficiais da mLabs no Facebook e no Instagram, bem como perfis profissionais da empresa

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A empresa mLabs, plataforma que presta serviço de gerenciamento de mídias sociais, divulgou um comunicado em seu site oficial nesta sexta (11) afirmando que o Facebook tirou do ar postagens de 330 mil empreendedores feitas a partir de seu sistema para agendamento de publicações.

Segundo a mLabs, que tem a empresa de pagamentos Stone como sócia, seu aplicativo para publicação em redes sociais saiu do ar por volta das 18h desta quinta (10), sem aviso prévio, derrubando 39 milhões de publicações feitas a partir dele.

Também foram desativadas as páginas oficiais da mLabs no Facebook e no Instagram, bem como perfis profissionais da empresa.

Leia Também

Rafael Kiso, fundador da mLabs, diz que seu serviço de gestão de redes sociais é usado principalmente por pequenos empresários e agências de publicidade. Também é adotado por hospitais e órgãos de governo, afirma.

Segundo o empresário, o retorno do Facebook foi que a autorização para agendamentos de postagem no Instagram não poderia ser feita pela empresa. Segundo a rede social em post em blog para desenvolvedores, a autorização para o serviço dependeria do uso de uma API (integração entre sistemas) após análise prévia do aplicativo pelo Facebook.

A mLabs tem acesso a login e senha de seus clientes para oferecer o recurso de agendamento de stories no Instagram.

Kiso defende a publicação programada e lembrou que o Facebook disse, em postagem de seu blog para desenvolvedores em janeiro, que o agendamento de postagens é importante para empresas e que iria liberar APIs (integrações entre sistemas) para facilitar que o processo fosse feito via outros aplicativos.

“Não nos avisaram sobre o problema nem nos deram tempo para nos adequar a API”, diz Kiso.

A decisão do Facebook teria sido tomada nos Estados Unidos e, por isso, há pouco espaço para diálogo, afirma Kiso. Como a comunicação direta com a empresa está difícil, o empresário conta que fez contato com um escritório de advocacia nos Estados Unidos para tentar reverter a situação, e não descarta recorrer à Justiça americana.

Procurado, o Facebook afirmou que “a mLabs estava envolvida em coleta não autorizada de dados e de credenciais de usuários, o que são violações dos termos de uso do Facebook e do Instagram”.

A companhia diz ter suspendido o acesso da mLabs aos seus serviços e enviado uma notificação extrajudicial à mLabs sobre o ocorrido.

Kiso critica a decisão que, segundo ele, além de prejudicar a mLabs, prejudica seus clientes, que não têm envolvimento com o debate e amanheceram sem suas postagens.

A mLabs diz na nota divulgada aos clientes que enfrentou situação semelhante em 2019, quando as postagens ficaram fora do ar por dois dias.

Na ocasião, segundo Kiso, novos algoritmos do Facebook detectaram uma postagem que infringia as regras de conteúdo permitido pela empresa e, como consequência, todos os posts feitos a partir de sua plataforma ficaram temporariamente suspensos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

#PUBLICIDADE#

Mais Lidas

Festival In-Edit começa nesta quarta com 50 documentários musicais

Toda a programação do festival pode ser consultada no site do In-Edit. Alguns filmes também poderão ser acessados na plataforma do Sesc Digital e no canal Tamanduá com acesso gratuito. Após o dia 28 de junho, 11 filmes nacionais ficarão disponíveis na plataforma Spcine Play, também com acesso gratuito.

Vacinado, João Azevedo começa a mexer peças no tabuleiro

O evento para a entrega de caminhões e equipamentos destinados à agricultura familiar no Centro de Convenções, em João Pessoa, mostrou nesta segunda-feira que após tomar as duas doses de Coronavac o governador João Azevedo quer se reaproximar da sua base política. Não que tenha estado tão distante, mas durante a pandemia as audiências foram suspensas e o contato olho no olho só retornou recentemente após o governador ser totalmente imunizado.

João Azevedo e o mapa de 2022

Esse é o x da questão. Tecnicamente, sua experiência é invejável, já politicamente, sua liderança está em construção, embora tenha passado por testes importantes.  Na fase inicial da gestão, lidou com a operação Calvário que arrastou Ricardo Coutinho e nomes importantes da primeira formação do seu secretariado saindo sem arranhões. O vendaval da operação emendou com a pandemia do Coronavirus e Azevedo após 14 meses fez o dever de casa sem prejudicar a gestão fiscal.

Wilson Santiago propõe pagamento de 12 meses de salário mínimo para desempregados com imposto arrecadado de grandes fortunas

Terá direito ao benefício, de um salário mínimo mensal, a pessoa comprovadamente desempregada, e obrigatoriamente inscrita em cursos de formação e capacitação profissional, com duração de até 12 meses. A proposta em análise na Câmara dos Deputados prevê a criação, por meio de lei complementar, do Imposto sobre Grandes Fortunas (IGF). O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Botijão do gás de cozinha chega a R$ 95 em João Pessoa; veja preços por bairro

Os maiores preços foram encontrados no Depósito Pecorelli (Jaguaribe), Beto Gás (Monsenhor Magno/Valentina), Gravatá Gás (Boa Esperança/Valentina), Real Gás (Bancários) e Log Gás (Geisel).
#PUBLICIDADE#

ACHAMOS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

#PUBLICIDADE#