João Pessoa 28.13ºC
Campina Grande 24.9ºC
Patos 32.64ºC
IBOVESPA 121792.81
Euro 5.6952
Dólar 5.2741
Peso 0.0059
Yuan 0.7276
Famílias no Sertão da Paraíba são contempladas pela Codevasf com módulos sanitários
10/05/2024 / 08:31
Compartilhe:

O município de Água Branca, no Sertão da Paraíba, foi atendido pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) com a instalação de 28 módulos sanitários – uma tecnologia alternativa para amenizar a falta de banheiro em casas situadas na zona rural. Na ação, a empresa investiu cerca de R$ 358,4 mil.

“Esse investimento não só reflete o compromisso com o bem-estar das comunidades locais, mas também demonstra uma visão voltada para o futuro, onde a preservação ambiental e o desenvolvimento sustentável são prioridades”, avalia o superintendente regional da Codevasf na Paraíba, Irlen Braga dos Guimarães.

No estado, a Codevasf deverá instalar um total de 250 módulos sanitários, beneficiando diversos municípios, como Santa Inês, Bonito de Santa Fé, São José do Brejo do Cruz, Catingueira, Casserengue e São Sebastião do Umbuzeiro. O investimento total é da ordem de R$ 3,2 milhões.

Os módulos sanitários implementados são uma solução inovadora que dispensa o uso de energia elétrica e água. Conhecidos como módulos sanitários de desidratação ou banheiros secos, essas estruturas são independentes da rede de esgoto e operam sem a necessidade de recursos elétricos ou hídricos para o descarte de dejetos.

Esses equipamentos não requerem instalações hidráulicas complexas, dependendo apenas da incidência solar e ventilação natural para o tratamento dos resíduos. Funcionam por meio de um sistema de receptáculo em carrossel e uma janela que promove a desidratação e redução do volume dos resíduos fecais em até 90%.

O descarte dos resíduos fecais é simples e pode ser feito mensalmente pelo próprio usuário, utilizando uma vala rasa. Basta abrir a janela, que é fixada por borboletas rosqueadas na base do módulo. Quanto à urina, ela é tratada por infiltração no solo.

Essa iniciativa melhora a qualidade de vida das comunidades locais, proporcionando acesso a saneamento básico, contribui para a preservação do meio ambiente, ao reduzir a dependência de recursos naturais e promover práticas sustentáveis de tratamento de resíduos.