João Pessoa 22.13ºC
Campina Grande 19.9ºC
Patos 20.71ºC
IBOVESPA 124305.57
Euro 5.5522
Dólar 5.1707
Peso 0.0058
Yuan 0.7137
Filme produzido por estudantes da Paraíba será exibido em Paris
22/11/2023 / 06:50
Compartilhe:

O curta-metragem universitário “Arlinda”, dirigido pelo estudante Jonny Herbert e realizado por uma equipe de sete alunos do curso de cinema e audiovisual da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) foi selecionado para o Expo Euroarts, mostra de artes brasileiras que vai acontecer em dezembro, em uma galeria de artes na cidade de Paris, na França. A obra ficará em exposição por 15 dias.

O filme, sem fins lucrativos, foi gravado entre 2022 e 2023, em princípio para composição de atividade avaliativa do componente acadêmico direção cinematográfica, ministrado pela professora Vânia Perazzo.

O trabalho é o primeiro filme poliglota paraibano e tem versão em português, inglês, espanhol, francês e libras, além de audiodescrição e legenda acessível LSE. O filme foi produzido nesse formato visando a aplicação do projeto em festivais de cinema estudantil no exterior para o estudo da estrutura desses editais.

Arlinda é um drama psicológico que, em 15 minutos de duração, acompanha a jornada de Arlinda Trindade, uma jovem corajosa, que se encontra presa em um trabalho opressivo. O filme explora as pressões emocionais e físicas enfrentadas por Arlinda enquanto ela lida com várias intempéries, acompanhando o processo de adoecimento da personagem e se faz por meio de um prólogo e três atos: encantamento, desencantamento e adoecimento.

No filme, o uso das cores é uma ferramenta simbólica que reforça a progressão da doença da personagem, adicionando uma dimensão visual à jornada interna de Arlinda.

O diretor do filme, Jonny Herbert destaca a preocupação com a inserção da libras como um dos idiomas do filme, da audiodescrição e legendagem como um compromisso com a acessibilidade e parte do dever dos produtores de cinema de possibilitar que todas as pessoas tenham acesso ao filme.

A diretora de som, Mariana Silveira, conta um pouco sobre o processo. “Juntos, gravamos as quatro versões do filme no estúdio de som do CCTA, com pessoas especializadas nas respectivas línguas, que se voluntariaram para fazer o trabalho”.

Para conseguir levar a produção para exibição em Paris, o grupo de alunos participou de um edital público de circulação artística no qual foram selecionados. No entanto, uma vez que a ajuda de custo fornecida para a viagem de 05 pessoas da equipe não é suficiente para cobrir todos os gastos, os alunos estão realizando uma arrecadação e pedindo apoio por meio da chave pix arlindaemparis@gmail.com.

“Esta é uma oportunidade única para levar o cinema universitário para novos patamares, promovendo uma visibilidade excepcional para o cinema Paraibano”, disse Jonny Herbert.

A pretensão dos realizadores do filme é seguir inscrevendo a produção em seleções de exposições, mostras e festivais universitários internacionais, já que o filme abrange um tema universal e foi desenvolvido em quatro idiomas.