João Pessoa 22.13ºC
Campina Grande 18.9ºC
Patos 23.68ºC
IBOVESPA 124305.57
Euro 5.6073
Dólar 5.1707
Peso 0.0058
Yuan 0.7137
João Pessoa se destaca como a capital mais procurada no Nordeste para morar e visitar, mas enfrenta desafios na mobilidade urbana e infraestrutura
05/08/2023 / 10:31
Compartilhe:

João Pessoa, capital da Paraíba, vem se destacando cada vez mais como uma das cidades mais procuradas para se viver no Nordeste brasileiro. Segundo dados do IBGE, nos últimos 12 anos, a população da cidade cresceu em incríveis 15,3%, tornando-se a capital nordestina que mais atraiu novos moradores. Mas o que torna João Pessoa tão especial e atrativa para turistas e pessoas que decidem se mudar definitivamente para para cá?

São muitos os motivos que fazem da Capital paraibana uma cidade desejada para se viver. Primeiramente, o clima tropical e as belas praias são um atrativo para quem busca um lugar com temperaturas agradáveis durante o ano todo e paisagens que são de transbordar os olhos.

Foto: Wilka Santos, socióloga, destaca que João Pessoa possui um ritmo mais calmo e tranquilo.

Em conversa com o Portal F5 Online, a socióloga Wilka Santos destaca que João Pessoa possui um ritmo mais calmo e tranquilo, em comparação a grandes metrópoles, o que atrai pessoas que desejam viver longe do estresse das grandes cidades, mas sem abrir mão de estrutura e conforto.

“Quem vem para cá para morar procura uma certa tranquilidade, não muita agitação. E se comparada a outras regiões do país, João pessoa é o tipo de cidade que pode ser aproveitada em qualquer época do ano”, disse.

A hospitalidade do povo paraibano também é um fator que conquista os visitantes e moradores, tornando a adaptação à cidade mais fácil e acolhedora.

Quem visita a cidade logo se apaixona e não quer mais sair daqui. Influenciados pela beleza das praias e orlas, pela cultura e qualidade de vida, muitos decidem estabelecer residência permanente na capital paraibana. A tranquilidade encontrada nas praias, parques e praças, aliada à hospitalidade da população local, faz com que João Pessoa crie uma conexão especial com aqueles que a visitam.

Como é o caso do casal de professores Alex Benitez e Eliakin Lambrecht, os dois são de Foz do Iguaçu, no Paraná, e escolheram João Pessoa como destino de férias. O casal disse que nunca tinha ouvido falar na cidade, e ficou encantado com o que viu ao chegar aqui.

Foto: os professores Alex Benitez e Eliakin Lambrecht são de Foz do Iguaçu, no Paraná, e escolheram João Pessoa como destino de férias em 2023.

“A gente queria aproveitar o calor do Nordeste nas férias e tem sido dias maravilhosos. pensamos em voltar de vez para morar aqui. É uma cidade acolhedora, tranquila e maravilhosa, disse Alex.

Eliakin completou: “É a cidade mais bonita que eu já visitei. O povo é acolhedor e hospitaleiro. O clima, as comidas, as pessoas passeando ao entardecer na orla, o cheiro, os prédios e casas. Tudo, tudo me encantou aqui. Quero voltar”.

Desafios e Necessidades para o Futuro

Para a socióloga Wilka Santos, apesar do crescimento populacional e das transformações ao longo dos anos, a cidade ainda mantém um certo ar de interior e isso atrai novos moradores todos os anos. Ela destaca que esse rápido crescimento na população faz com que a João Pessoa enfrente desafios sociais e estruturais.

“A necessidade de melhorar o acesso à moradia digna, trabalho e renda, saúde, segurança e educação de qualidade são questões que devem ser enfrentadas pelos gestores públicos e pela sociedade como um todo”, pontuou.

Ainda conforme Wilka, investimentos em infraestrutura urbana, transporte público eficiente, programas habitacionais inclusivos e atração de novos negócios e indústrias são aspectos cruciais para o desenvolvimento sustentável da cidade e para melhorar a qualidade de vida de seus habitantes.

“João Pessoa é uma cidade que encanta com sua beleza natural, hospitalidade e qualidade de vida. Seu crescimento populacional evidencia que cada vez mais pessoas estão percebendo o potencial que a cidade tem para oferecer”, disse.

Foto: Walter Junior

Com tantos desafios a serem superados, a capital paraibana deve continuar focando em investimentos sociais, econômicos e estruturais para garantir que seja um lugar ainda mais atrativo, acolhedor e próspero.

Mobilidade urbana: desafios e sustentabilidade 

Um dos principais problemas enfrentados por João Pessoa é o intenso tráfego de veículos que resulta em congestionamentos e poluição do ar. O aumento de carros e motos têm colocado pressão sobre a infraestrutura viária, tornando a mobilidade urbana uma questão de prioridade para a cidade.

Nesse sentido, medidas de incentivo ao uso do transporte público, como investimentos em redes de ônibus mais eficientes,  são essenciais para aliviar o fluxo nas ruas e promover um deslocamento mais sustentável.

Nos últimos anos, o crescente número de veículos em João Pessoa tem se tornado um desafio para a população que depende do transporte público. Com uma frota total de 305.259 carros, a cidade enfrenta problemas de congestionamentos e falta de espaço para estacionamento, dificultando a mobilidade diária de muitos.

Foto: Carlos Batinga- Consultor em Mobilidade Urbana

Para o Consultor em Mobilidade Urbana, Carlos Batinga, o reflexo desse crescimento pode ser facilmente percebido nas ruas, o que traz consequentemente, um grande impacto na mobilidade urbana como um todo

“Com mais pessoas chegando à cidade, a demanda por transporte público e infraestrutura viária aumenta,  o que requer medidas urgentes e planejamento estratégico para garantir uma mobilidade eficiente e sustentável”, disse.

Carlos Batinga também explica que a cidade precisa investir em um planejamento urbano que priorize o pedestre e integre os diferentes modos de transporte. Isso inclui a construção de calçadas adequadas, faixas de pedestre bem sinalizadas e a criação de espaços públicos de convivência.

João Pessoa tem o privilégio de já ter feito um plano de mobilidade, mas ele precisa ser seguido. Esse plano define as diretrizes para mobilidade ativa, que é o principal, porque o foco deve ser sempre na humanização das cidades. Ou seja, abrir mais espaço para os humanos e melhorar a qualidade de vida. Investir realmente no transporte coletivo é uma forma de diminuir a movimentação de veículos individuais, com isso melhora-se também a qualidade de vida com a redução de poluição atmosférica e sonora”, completou.

Com planejamento estratégico, investimentos adequados e a participação da sociedade civil, é possível transformar a cidade em um lugar mais acessível, sustentável e acolhedor para todos que vivem ou desejam morar aqui.