João Pessoa 25.13ºC
Campina Grande 22.9ºC
Patos 28.2ºC
IBOVESPA 119137.86
Euro 5.8085
Dólar 5.419
Peso 0.006
Yuan 0.7468
Libertadores Feminina tem final Brasileira e recordes históricos
23/02/2023 / 09:35
Compartilhe:

A Copa Libertadores Feminina, que termina neste sábado (21), com a decisão entre Palmeiras e Corinthians, às 20:30h, em Cali, na Colômbia, vai ficar marcada na história.

 

O torneio que é disputado pela 15a vez, chega ao seu final com números impressionantes para a modalidade, a começar pela premiação.

 

A CONMEBOL – Confederação Sul-Americana de Futebol -, estipulou em US$ 50 mil (cerca de R$ 252 mil), como valor total distribuído entre as equipes ao longo do torneio.

 

Ao contrário da competição masculina, que é disputada com jogos na cada de cada clube ao longo do ano, a Libertadores Feminina possui sede fixa, sendo realizada a caba ano em um país diferente.

 

Nessa temporada, o campeão recebe um total de US$ 1 milhão e 750 mil (cerca de R$ 8 milhões e 850 mil), distribuídos no decorrer da disputa.

 

Ao todo, a CONMEBOL distribuiu US$ 3 milhões, 350 mil (cerca de R$ 17 milhões), entre os clubes, representando 55% de aumento em relação ao valor total pago em 2022.

 

Esse aumento na premiação chega impulsionado pela valorização que o futebol feminino vem ganhando nos últimos anos.

 

Para se ter uma idéia, a Libertadores Feminina 2023, já possui o maior número de patrocinadores da história, com 8 empresas exibindo suas marcas ao longo do torneio.

 

Cobertura da Mídia

 

A presença do torneio na mídia também obteve cobertura histórica este ano.

 

No Brasil, todos os jogos foram exibidos por meio de TV a cabo, TV aberta, sites especializados e plataformas de streaming.

 

Na TV, os jogos foram exibidos no Sportv e Bandsports (a cabo) e Globo (final na TV aberta); e via internet através dos sites temáticos: Meu Timão e Nosso Palestra (jogos de Corinthians e Palmeiras) ; no canal GOAT (Youtube) e na plataforma de Streaming Pluto TV.

 

Jogo

 

Em campo, o que se viu foi uma melhora considerável no nível técnico da competição, que vem crescendo a cada ano.

 

Muito embora, as equipes brasileiras e colombianas tenham demonstrado estar bem avançadas Nos quesitos técnico e físico, o futebol feminino Sul-Americana ainda tem muito a melhorar.

 

Por esse motivo, a CONMEBOL vem realizando palestras, treinamentos e clinicas frequentemente, a fim de profissionalizar cada vez mais a modalidade.

 

O Brasil chegou a semifinal da Libertadores Feminina, com suas três equipes participantes, cada uma com 100% de aproveitamento, ou seja: 5 jogos e 5 vitórias.

 

Corinthians, Palmeiras e o estreante Internacional marcaram um total de 58 gols em 15 jogos, o que dá uma espetacular média de 3,86 gols por partida.

 

O Palmeiras chega a decisão, programada para sábado (21), às 20:30h, em Cali, com o melhor ataque da competição: 24 gols marcados.

 

Já o Corinthians, conta com a melhor defesa: apenas 1 gol sofrido em cinco partidas.

 

Já o Inter, que disputa o terceiro lugar, contra o Atlético Nacional, também no sábado, às 17:30h, possui a artilheira da competição.

 

Priscila Flor, atacante de 19 anos, revelada pelo próprio Internacional, marcou sete dos 17 gols que a equipe fez na Libertadores, uma grata revelação.

 

O time gaúcho apresentou ao futebol Sul-Americano outras jogadoras que fizera “brilhar os olhos”, como a uruguaia Belén Aquino, campeã em assistências e a zagueira Isa Haas, entre outras.

 

Libertadores em números

 

Clubes: 16

Jogos: 32

Gols: 118

Média: 3,68 gols por partida

Atletas: 480 inscritas