João Pessoa 22.13ºC
Campina Grande 19.9ºC
Patos 21.11ºC
IBOVESPA 119137.86
Euro 5.7331
Dólar 5.4201
Peso 0.0059
Yuan 0.7471
Meteorologia explica fortes chuvas que causaram transtornos no litoral da Paraíba
28/05/2024 / 17:12
Compartilhe:


A faixa litorânea da Paraíba enfrentou, nesta terça-feira (28), fortes chuvas que resultaram em alagamentos, queda de árvores e congestionamento no trânsito. Em apenas 12 horas, João Pessoa registrou mais de 125mm de chuva, o que representa metade do volume esperado para o mês inteiro, conforme informações da Prefeitura de João Pessoa.

A meteorologista Marle Bandeira, da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa-PB), explicou ao Portal F5 Online que as intensas chuvas são resultado de aglomerados de nuvens de chuva vindos do oceano Atlântico.

“Essas chuvas foram decorrentes de aglomerados, bastante intensos, de nuvens de chuva, oriundos do oceano atlântico em direção à costa leste, principalmente nos estados da Paraíba e de Pernambuco. Como as temperaturas do oceano estão bem acima da média, mais aquecidas do que o normal, isso favorece a intensificação desses aglomerados”, afirmou Bandeira.

Leia também: Chove em João Pessoa quase metade do volume esperado para maio

Além disso, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) alertou que até a manhã desta quarta-feira (29), as cidades litorâneas e da região da mata na Paraíba podem registrar chuvas de até 100 mm/dia. Marle Bandeira mencionou que há uma perspectiva de chuvas significativas especialmente para o litoral norte e áreas adjacentes.

“Ainda existe perspectiva de chuva porque essa faixa litorânea, o período mais chuvoso é de abril a julho. Então, para as regiões do Agreste, Brejo e Litoral, maio e junho fazem parte do período mais chuvoso. Então, chuvas nessa época do ano são comuns de acontecer”, explicou.

Foto: Reprodução

Para os próximos dias, a meteorologista não descartou a possibilidade de novos eventos significativos de chuva, principalmente na faixa litorânea do estado. Ela ressaltou que a previsão da AESA para o período de abril a julho indica um comportamento acima da média climatológica para as regiões do Agreste, Brejo e Litoral.