João Pessoa 22.13ºC
Campina Grande 20.9ºC
Patos 20.49ºC
IBOVESPA 119137.86
Euro 5.7331
Dólar 5.4201
Peso 0.0059
Yuan 0.7471
NA DIPLOMAÇÃO: Governador lembra desempenho eleitoral no interior da PB, fala em mitos de barro e pede fim das discórdias
19/12/2022 / 21:19
Compartilhe:

O governador João Azevedo (PSB) discursou na solenidade de diplomação promovida pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PB), no final da tarde desta segunda-feira (19), e lembrou dos programas sociais implantados durante sua administração, que segundo ele, promoveu melhoria à vida dos paraibanos.

O governador citou a importância dos votos obtidos por ele no interior do Estado. “Novos ventos geram novas ondas. Quem diria, por exemplo, que os municípios do interior do Estado seriam capazes de decidir uma eleição majoritária na Paraíba. A hegemonia dos grandes centros parecia inexpugnável até a disseminação de gestos concretos e pactuação social sem nota e promissórias eleitorais. Atendidos nas demandas sociais, os eleitores decidiram assumir o protagonismo”.

João Azevedo destacou o papel da justiça eleitoral e classificou como crucial a condução dada pelo desembargador Leandro dos Santos, ao comandar o Tribunal Regional Eleitoral durante o processo eleitoral. “Seguiremos seguros, através da lucidez e sensibilidade da desembargadora Fátima Maranhão”.

Para o governador, venceu a democracia, apesar das ameaças, e mitos de barro foram derrotados. “Somos, senhoras e senhores, republicanos, legalistas, guardiões do Estado Democrático de Direito. Somos constitucionalistas. Este é o regramento. Foi isso que ressoou das vozes roucas das ruas, que teimariam em auscultar o futuro entre frestas de luzes e crateras de trevas. Entre mitos de barro e ritos cidadãos”.

Pandemia

A pandemia também foi citada durante o discurso de João Azevedo, e disse que a população é sobrevivente de uma fase sombria do planeta. “Choremos e reverenciemos nossos entes queridos, mas busquemos, ao mesmo tempo, estruturar antídotos que nos assegure a não passar aquilo de novo”.

Trégua

Em seguida o governador pediu uma trégua nos debates políticos e propôs o início de um novo ciclo. “Ao falar aos diplomados devo fazer buscando pontos convergentes e aglutinadores, jogando ao limbo as discórdias e a prática indigesta do personalismo político. O resultado das eleições já deu o recado na dosagem certa”.