João Pessoa 21.13ºC
Campina Grande 18.9ºC
Patos 19.57ºC
IBOVESPA 119137.86
Euro 5.8099
Dólar 5.4201
Peso 0.006
Yuan 0.747
Nova temporada de American Crime Story explora caso de Clinton com estagiária na década de 1990
14/08/2021 / 13:19
Compartilhe:

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Na esteira do escândalo sexual que atingiu os EUA nesta semana, com a renúncia do governador de Nova York, Andrew Cuomo, após denúncias de assédio sexual, outro episódio notório do tipo volta ao debate com o lançamento da série “Impeachment: American Crime Story”.

A terceira temporada gira em torno do caso entre o ex-presidente dos EUA Bill Clinton (1993-2001) e a ex-estagiária Monica Lewinsky, ela mesma produtora da série. A relação entre os dois veio à tona no início de 1998, e no mesmo ano Lewisnky prestou depoimento em que relatava ter se encontrado ao menos dez vezes com o mandatário, a maioria no Salão Oval.

Incialmente, Clinton negou ter tido “relações sexuais” com a estagiária, em uma declaração judicial gravada em vídeo, no âmbito de um processo por abuso sexual apresentado por Paula Jones contra o ex-governador de Arkansas.

Mais tarde, o então presidente admitiu ter tido relações impróprias. Em um documentário lançado no ano passado, ele justificou sua relação como algo que fez “para lidar com [sua] ansiedade durante anos”. No longa, sua mulher até hoje, Hillary, contou que se sentiu “devastada e ferida de uma forma tão pessoal”.

O relacionamento com a estagiária motivou ainda um processo de impeachment -o presidente foi acusado de mentir sob juramento a respeito do caso. A Câmara dos Deputados aprovou a remoção, mas Clinton foi absolvido no Senado e ficou até o fim do mandato, em 2001.

Segundo a sinopse divulgada pela rede FX, a história será contada sob o ponto de vista das mulheres envolvidas. Além de Lewinsky, vivida por Beanie Feldstein, Linda Tripp (Sarah Paulson) e Paula Jones (Annaleigh Ashford) foram peças-chaves no caso.

Tripp era amiga da estagiária e gravou as conversas e a convenceu a guardar um vestido azul manchado com o sêmen do presidente. Ela entregou as gravações e passou a informação da roupa ao promotor que investigava Clinton por corrupção e assédio sexual.

Já Jones processou o ex-presidente após ter sido levada por um policial, durante um evento em 1991, até o quarto de hotel do democrata, que propôs uma relação sexual e expôs sua genitália.

O papel de Clinton na série, que também adapta o livro “A Vast Conspiracy: The Real Story of the Sex Scandal That Nearly Brought Down a President”, de Jeffrey Toobin, ficou com Clive Owen. A direção é de Michael Uppendahl, e o primeiro episódio vai ao ar em 7 de setembro nos Estados Unidos.

Nas duas outras temporadas, “American Crime Story” abordou as histórias de O.J. Simpson, ex-atleta e ex-ator absolvido em 1995 pelo assassinato da sua mulher, Nicole Brown, e de um amigo dela, e posteriormente condenado em uma ação civil movida pelas famílias das vítimas, e do assassinanto de Gianni Versace.