João Pessoa 23.13ºC
Campina Grande 20.9ºC
Patos 22.72ºC
IBOVESPA 124305.57
Euro 5.6025
Dólar 5.1645
Peso 0.0058
Yuan 0.7135
O que é a Quaresma?
17/02/2024 / 13:43
Compartilhe:

Os cristãos iniciaram nesta Quarta-Feira de Cinzas o tempo da quaresma, um período de preparação para a Páscoa, data mais importante do calendário litúrgico da Igreja Católica.

A quaresma se estende até a quinta-feira da Semana Santa, quando é celebrada a última ceia de Jesus Cristo com os apóstolos, e é marcada por ser uma época de reflexão e penitências para os cristãos.

Durante os 40 dias, os fiéis têm o costume de fazer reflexões, orações e penitência em preparação para celebrar a ressureição de Jesus Cristo.

“Basicamente, a quaresma é um período de 40 dias em preparação para a Páscoa, que é o grande acontecimento da Igreja Católica. É o período que antecede a paixão, morte e ressureição de Cristo”, explica o padre Jaime Lemes, de Taubaté.

Ainda de acordo com o padre, a Igreja Católica sugere três atitudes para que os cristãos possam se preparar durante a quaresma:

  • Jejum (penitências);
  • Esmola (caridade);
  • Oração.

Além disso, é recomendada a abstinência de carne em duas ocasiões: Quarta-Feira de Cinzas e Sexta-Feira Santa.

Penitências ‘modernas’

Durante a missa realizada no Santuário Nacional de Aparecida (SP) nesta quarta-feira (14), o arcebispo da cidade, Dom Orlando Brandes, também abordou o tema da quaresma.

“Quaresma é crescimento na santidade. A experiência de Deus, da Fraternidade. Quaresma é um tempo da gente penetrar ainda mais nas sagradas escrituras, que são muito ricas no tempo quaresmal.”

Além disso, o arcebispo sugeriu penitências ‘modernas’ aos cristãos, como por exemplo o combate ao mosquito da dengue. A doença está em alta em todo o país neste ano.

Para o padre Jaime Lemes, outra sugestão nesse sentido tem relação com as redes sociais.

“As pessoas precisam dar mais atenção às relações reais. É uma oportunidade de estar mais perto do outro, mais próximo, na vida real. Hoje a maioria das relações acontece apenas pelas redes sociais”, pontua.

Informações do G1