João Pessoa 28.13ºC
Campina Grande 21.9ºC
Patos 34.75ºC
IBOVESPA 122707.28
Euro 5.6377
Dólar 5.2034
Peso 0.0058
Yuan 0.7192
Pedro defende mais apoio ao turismo para geração de emprego e renda: “Vamos dar um novo ritmo a PB”
28/10/2022 / 09:49
Compartilhe:

Um dos maiores entraves para o desenvolvimento da Paraíba, segundo o candidato ao governo do estado, Pedro Cunha Lima (PSDB), é a lentidão da gestão estadual que não dá celeridade para entregar obras e ações. Para mudar isso, o deputado federal garante que, se eleito governador, vai promover uma ampla mudança dentro da administração pública, dando mais eficiência para que os projetos saiam do papel, com mais investimentos no desenvolvimento econômico, turismo e recursos hídricos.

“No final de uma gestão você tem que apresentar o que foi feito, não ficar falando do que vai fazer. Pergunto quanto da dragagem do Porto de Cabedelo foi feita até hoje, mas João não diz. Não diz porque a obra começou há 15 dias. Temos que acabar com essa história de fazer obras somente no ano da eleição. A gente quer dar velocidade, dar um novo ritmo a Paraíba. A gente quer ser parceiro e apoiar quem empreende. O governo atual não ajudou quem empreende na pandemia, pelo contrário, somente atrapalhou e massacrou”, disse Pedro.

“No nosso governo, nós vamos investir o recurso da Secretaria de Comunicação para divulgar as praias do nosso litoral, o São João de Campina Grande, a Pedra da Boca e muitos outros locais. Nós sabemos que o turismo é um grande potencial de geração de empregos. Eu sou competitivo e não gosto de ver a Paraíba ficando para trás. Se a gente tivesse acertando no turismo, o número de turistas estaria aumentando. No meu governo, nós vamos investir para garantir que o nosso estado tenha a divulgação necessária. Esse é o meu compromisso”.

Pedro Cunha Lima também garantiu investir nos recursos hídricos para que a população tenha água para consumo e para o desenvolvimento econômico. “Por onde andamos as pessoas clamam por água. Em Itapororoca, a principal demanda é água. Falta água para as pessoas. João fala que outros governos não fizeram. Quem não fez foi ele mesmo. Ele foi secretário de recursos hídricos por 8 anos. É governador há 4 anos. São 12 anos e não fez”.