29.1 C
João Pessoa

Pesquisa constata aumento da temperatura média do ar na Paraíba

Tendência de alta afeta produção de energia solar fotovoltaica no estado

Pesquisa da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) constatou aumento da temperatura média do ar na Paraíba. A tendência de alta pode comprometer a eficiência da produção de energia solar fotovoltaica no estado, por provocar diminuição da tensão elétrica em painéis fotovoltaicos – equipamentos responsáveis pela captação e conversão da luz solar em eletricidade, reduzindo a geração de energia elétrica.

Segundo o estudo realizado pela pesquisadora Louise Pereira da Silva no âmbito do Programa de Pós-graduação em Energias Renováveis da UFPB, o aumento da temperatura média do ar na Paraíba foi de 1ºC nos últimos 30 anos. Hoje, é de 25,3 °C. Esse crescimento foi observado nas quatro regiões geográficas intermediárias do estado (João Pessoa, Campina Grande, Patos e Sousa-Cajazeiras).

Leia Também

Nos municípios onde ficam as estações meteorológicas do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) na Paraíba, locais de realização da pesquisa da UFPB, a elevação anual da temperatura média do ar foi a seguinte: João Pessoa (0,03 °C), Areia (0,02 °C), Campina Grande (0,02 °C), Monteiro (0,05°C), Patos (0,04 °C), São Gonçalo [distrito de Sousa] (0,06 °C).

Os dados climáticos históricos de irradiação solar e de temperatura média do ar dessas estações meteorológicas, instaladas nas últimas três décadas na Paraíba, foram o que permitiu a realização do estudo. De acordo com o Inmet, as estações meteorológicas têm o objetivo de monitorar e analisar a previsão do clima e do tempo no estado. Ao todo, são seis convencionais e duas automáticas presentes em solo paraibano.

Das estações meteorológicas convencionais, uma fica em João Pessoa, no Litoral, três na região de Campina Grande, no Agreste, uma em Patos e outra em Sousa, no Sertão paraibano. Conforme a pesquisa da UFPB, atualmente, a temperatura média do ar é de 26,8 °C em João Pessoa, 22,5 °C em Areia, 23,3 °C em Campina Grande, 24,2 °C em Monteiro, 27,9 °C em Patos e de 26,8 °C em São Gonçalo [distrito de Sousa].

Balanço energético nacional lançado neste ano, tendo 2020 como referência, mostra que, no estado da Paraíba, a produção fotovoltaica foi de 365 GWh. Considerando um consumo médio mensal de 200 kWh, essa produção fotovoltaica atenderia aproximadamente a 152 mil residências durante um ano. No estado, a produção de energia solar fotovoltaica corresponde a aproximadamente 24% da geração total.

“Nesta nossa avaliação dos dados climáticos históricos de irradiação solar e temperatura média do ar do estado da Paraíba e seu impacto na produção de energia fotovoltaica usando painel de silício monocristalino e policristalino, foi observado que houve redução na produção fotovoltaica em razão do aumento da temperatura média do ar”, afirma Louise Pereira da Silva, responsável pelo estudo.

A pesquisadora ressalta que essa redução foi pequena, mas foi visto que existe e que o aumento da temperatura do ar vai piorar a eficiência do sistema. “A redução da produção fotovoltaica foi a mesma tanto no painel de silício monocristalino quanto no painel de silício policristalino. O estado da Paraíba tem um potencial elevado, considerando o alto índice de irradiação solar”, diz Louise.

Na atualidade, existem diversos tipos de painéis fotovoltaicos. Os de silício monocristalino e policristalino são dois deles. A principal diferença entre as tecnologias é o método utilizado na fundição dos cristais. Enquanto o monocristalino é feito a partir de um único cristal de silício ultrapuro fatiado em lâminas de silício individuais, transformadas em células fotovoltaicas, no policristalino, os cristais de silício são fundidos em um bloco, preservando a formação de múltiplos cristais.

Para chegar aos resultados desta pesquisa, Louise Pereira conta que foram analisados dados do início da instalação de cada estação meteorológica na Paraíba até o ano de 2019. Toda manipulação das informações foi processada através de técnicas computacionais, sob orientação do professor Departamento de Engenharia de Energias Renováveis da UFPB Raphael Abrão, com colaboração das pesquisadoras Susane Medeiros e Paula Santos.

As informações técnicas dos painéis foram coletadas por meio do datasheet [folha de dados] dos equipamentos. As simulações para indicar tendências foram executadas considerando uma planta fotovoltaica de minigeração distribuída, com 100 painéis fotovoltaicos que estariam em cada estação meteorológica, explica Louise Pereira da Silva. A tensão elétrica de um painel fotovoltaico é muito dependente da temperatura e o aumento na temperatura do ar diminuirá a tensão do equipamento, reduzindo dessa forma a produção de eletricidade.

#PUBLICIDADE#

Mais Lidas

PSDB decide adiar votação das prévias

O PSDB decidiu suspender a realização das prévias presidenciais neste domingo, em consequência de falhas no aplicativo pelo qual...

DIA DO HETERO: Foi aprovado na ALPB, o Dia Estadual do Orgulho Heterossexual na PB

Foi aprovado por unanimidade na sessão desta segunda-feira (22), o projeto de lei 3.324/2021 que cria o Dia Estadual do Orgulho Heterossexual no âmbito do Estado da Paraíba....

150 VAGAS: Concurso para UFPB é anunciado para 2022

O anúncio aconteceu durante uma live realizada pelo reitor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Valdiney Gouveia, anunciou nesta terça-feira (23) que serão ofertadas pelo...

Italiano cai em golpe e passa 15 anos achando que namorava a modelo Alessandra Ambrosio

Durante o período, Roberto Cazzaniga entregou 700 mil euros (R$ 4,3 milhões) para a estelionatária, que pedia ajuda financeira para custear tratamentos de supostos problemas cardíacos. "Tenho tantas dívidas, não é fácil 'acordar do coma'", disse Roberto, aos prantos. De acordo com o portal "Il Fatto Quotidiano", Roberto chegou a fazer empréstimos para enviar o dinheiro pedido pela namorada falsa. A verdade foi revelada nesta terça-feira por um programa televisivo da "Mediaset", que reuniu provas de que o homem estava sendo enganado mediante pedidos da família do atleta, que estava preocupada com ele e desconfiada da namorada virtual. 

Acidente no Manaíra Shopping deixa dois mortos

Segundo as primeiras informações do IML o condomínio do shopping realizava um serviço de relocação de uma casa de máquinas de ar-condicionados quando ocorreu o acidente que vitimou Luciano Bezerra (53) e Euclídes Silva (61). O delegado Alberto Jorge plantonista na Central de Polícia esteve no local acompanhando a perícia do IML e a remoção dos corpos.
#PUBLICIDADE#

ACHAMOS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

#PUBLICIDADE#