28.1 C
João Pessoa
22.9 C
Campina Grande
23.5 C
Brasília

Pesquisadores da UFPB criam filtros de ar que inativam vírus da covid-19

Eficazes contra o vírus SarsCov-2, os materiais filtrantes podem ser utilizados não só em ambientes profissionais – em purificadores de ar em ambiente hospitalar ou em centrais de ar condicionado – mas também para uso doméstico

 

Professores da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) concluíram a criação de quatro materiais filtrantes que inativam o vírus da covid-19. Após passarem por testes de certificação, foi comprovada a eficácia de 99,9% a 99,99% nos modelos de filtragem criados.

Leia Também

Eficazes contra o vírus SarsCov-2, os materiais filtrantes podem ser utilizados não só em ambientes profissionais – em purificadores de ar em ambiente hospitalar ou em centrais de ar condicionado – mas também para uso doméstico, como filtro de condicionadores de ar, bem como para a produção de máscaras de proteção facial.

Desenvolvidos nos laboratórios LabFilm ( Laboratório de Síntese e Caracterização de Filmes Finos), FABLAB (Laboratório de Fabricação Digital), LAFECC (Laboratório de Farmacologia Experimental e Cultivo Celular) e o parceiro Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW), os materiais filtrantes são baseados em nanopartículas de prata acrescidos de um compósito cerâmico. O primeiro protótipo desenvolvido teve o objetivo de atender emanda dos profissionais de odontologia da UFPB, referente a um aspirador de ponta ativa, o qual teve financiamento do Edital 003/2020 – FAPESQ/SEECT – Projeto de Monitoramento, Análise e Recomendações para Rápida Implementação Diante da Pandemia de covid-19 da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado da Paraíba.

Participaram do projeto os professores Flávia Aquino e Euler Macêdo (Centro de Energias Alternativas e Renováveis – CEAR), Ricardo Dias de Castro (Centro de Ciências da Saúde – CCS), Alexandre Rezende Vieira (Universidade de Pittsburgh e Prof. visitante do Departamento de Clínica e Odontologia Social/CCS), Rosa Helena Wanderley e Vitor Marques Filgueiras (Hospital Universitário Lauro Wanderley), além da colaboração de professores do Centro de Tecnologia (CT) e CEAR e alunos de pós-graduação do PPGER (Energias Renováveis), PPGEM (Engenharia Mecânica) e PPGO (em Odontologia) da UFPB e da graduação da Engenharia Mecânica.

A Profa. Kelly Gomes, que coordena o projeto, informou que os inventores estão nos trâmites para a realização da proteção do invento junto a Agência UFPB de Inovação Tecnologia – Inova/UFPB e em seguida visam buscar o PCT (tratado de cooperação de patentes). No entanto, a tecnologia já está disponível para licenciamento para empresas interessadas em comercializá-la.

Ainda segundo a Profa. Kelly Gomes, a ideia é que os materiais filtrantes podem ser aplicados em diversos equipamentos, como ar-condicionado, central de ar, purificadores de ar para uso hospital e odontológico, mas que também seja utilizado em máscaras de proteção a preços mais acessíveis do que aqueles praticados no mercado. “Já estamos buscando parcerias junto empresas da Paraíba para colocarmos a tecnologia à disposição da sociedade”, informou.

Máscaras produzidas com a nova tecnologia têm materiais que desativam 99,99% do vírus da COVID-19. Foto: Divulgação
O interesse é que as máscaras produzidas com a nova tecnologia possam ser disponibilizadas, também, para a comunidade acadêmica da UFPB e para o Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW), informou a pesquisadora.

O desenvolvimento dos protótipos

Professora do Departamento de Engenharia de Energias Renováveis, Kelly Gomes explicou que os materiais filtrantes foram desenvolvidos no Laboratório de Síntese e Caracterização de Filmes Finos – LabFilm/CEAR e submetidos a teste virucida em laboratório credenciado, seguindo as Recomendações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e metodologias descritas nas normas ISO 18184/ 2019-06-25 e do Instituto Robert Koch – RKI. A validação da eficácia dos materiais filtrantes foi atestada pelo Laboratório de Virologia do Instituto de Biologia da Unicamp.

Segundo Kelly Gomes, por uma questão de biossegurança, a análise não utilizou especificamente o vírus da covid-19, mas um da mesma família do coronavírus, com capacidade de validar o teste. Expostos ao vírus durante um tempo elevado (mais de 100 vezes o utilizado para validar máscara de proteção do tipo N95), dois dos quatro materiais filtrantes apresentaram 99,9% de eficácia e para os outros dois modelos o resultado foi de 99,99% de segurança na inativação do vírus.

Ainda segundo a coordenadora do projeto, em princípio, o estudo para criação de filtros anticovid-19 tinha foco no ambiente hospitalar, em atendimento a uma demanda de profissionais de Odontologia, mas os pesquisadores envolvidos verificaram que era possível estender a aplicação dos produtos criados para o combate ao vírus da covid-19 em ambiente doméstico, por exemplo.

O projeto de criação dos protótipos, desenvolvido desde o ano passado por uma equipe multidisciplinar formada por professores da UFPB, contou com o financiamento da Fapesq (Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado da Paraíba), com uma verba no valor de aproximadamente R$ 146 mil.

Esquema do novo protótipo, para uso na odontologia, possui filtro interno feito com material desenvolvido pela UFPB e que tem a função de imobilizar e matar o vírus; aparelho puxa o ar expelido pelo paciente livrando o ambiente de ar contaminado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

#PUBLICIDADE#

Mais Lidas

ENQUETE F5: Se as eleições fossem hoje Pedro Cunha Lima seria o novo governador da Paraíba

O programa F5 da Rádio POP FM realizou uma enquete com os ouvintes e expectadores que acompanharam a transmissão...

DATAVOX: João Azevêdo lidera com 40,7% das intenções de voto na 1ª pesquisa para governo da PB em 2022

Realizada em parceria entre o Instituto Datavox e o portal PB Agora, a pesquisa aponta o deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB) em segundo lugar, com 14,2%. Em seguida vem o senador Veneziano Vital (MDB), com 6,6%, o ex-prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PT) com 5,9%, Nilvan Ferreira (PTB) com 3,2% e a vice-governadora do estado, Lígia Feliciano (PDT) com 1%. Indecisos somam 20,3%, enquanto brancos e nulos representam 8,1%.

Palco desaba e deixa formandos de medicina feridos na Grande João Pessoa

Duas  pessoas  foram socorridas com traumatismo craniano encefálico (TCE) após parte da estrutura de um palco desabar, no final da tarde deste sábado (21),...

15 possíveis temas de redação para o Enem 2022

O Portal Nacional da Educação divulgou uma lista com os possíveis temas de redação para as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem),...

Polícial Rodoviária Federal morre em Cabedelo

A policial rodoviária federal Renata Maia Pimenta, de 42 anos, morreu na noite desta sexta-feira (20) no prédio onde morava em Cabedelo. A informação...
#PUBLICIDADE#

ACHAMOS QUE VOCÊ VAI GOSTAR

#PUBLICIDADE#