João Pessoa 32.13ºC
Campina Grande 30.9ºC
Patos 33.75ºC
IBOVESPA 125946.09
Euro 5.4435
Dólar 5.1177
Peso 0.0059
Yuan 0.7071
PM encontra destroços do avião que caiu na Serra do Japi, piloto segue desaparecido
30/03/2024 / 12:50
Compartilhe:

Os destroços do avião bimotor que estava desaparecido desde a noite de quinta-feira (28) foram encontrados pelo helicóptero da Polícia Militar de São Paulo. Imagens feitas a partir do Águia 10 da PM mostram pedaços de fuselagem em meio a mata na Serra do Japi, nas proximidades do munícipio de Jundiaí.

Informações da Força Aérea Brasileira (FAB) apontam que estava a bordo apenas o piloto. A aeronave PT-WLP está em situação regular. Dados mostram que o avião havia decolado na noite de quinta-feira (28) do Aeroporto Estadual Comandante Rolim Adolfo Amaro, em Jundiaí, região metropolitana da capital. O destino era o Campo de Marte, na cidade de São Paulo. Mas não houve condições de pouso e o piloto resolveu retornar para Jundiaí.

De acordo com a PM, o último contato do piloto foi realizado através de rádio, às 23h. Naquele momento, ele sobrevoava a Serra do Japi. O aparelho é de propriedade de empresa chinesa HKTC do Brasil.

As buscas pelo piloto foram retomadas neste sábado. Equipes do Corpo de Bombeiros estão no local, e o helicóptero Águia da Polícia Militar também auxilia nos trabalhos

Aeronave caiu às 20h40 de quinta (28), segundo os bombeiros. Informações preliminares indicam que o avião decolou do Aeroporto Estadual Comandante Rolim Adolfo Amaro, em Jundiaí, com destino ao Aeroporto Campo de Marte, na zona norte da capital paulista. O UOL procurou a Rede Voa, concessionária que administra o aeroporto jundiaiense, mas não obteve resposta

Órgão da FAB (Força Aérea Brasileira) também foi acionado. Investigadores do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) foram hoje ao local onde os destroços foram encontrados, segundo a FAB. A equipe vai coletar dados, verificar os danos causados à e pela aeronave e levantar “outras informações necessárias à investigação”.

Bimotor tinha situação “normal” na Anac. A aeronave foi fabricada em 1995 pela Piper Aircraft e está registrada como propriedade da HKTC do Brasil, uma multinacional especializada em comércio exterior com sede em Hong Kong. A aeronave tinha capacidade para cinco passageiros e licença apenas para serviços aéreos privados, sendo proibido o uso de taxi aéreo.

Empresa diz que piloto é experiente e que era o único tripulante da aeronave. O nome dele não foi divulgado. A HKTC afirma ainda em nota divulgada nas redes sociais que acompanha as buscas e que presta as informações necessárias às autoridade competentes.

“A conclusão da investigação [sobre a queda da aeronave] terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade da ocorrência e, ainda, da necessidade de descobrir os possíveis fatores contribuintes.” – FAB, em nota

F5 com informações do Portal Uol