João Pessoa 24.13ºC
Campina Grande 22.9ºC
Patos 27.2ºC
IBOVESPA 121802.06
Euro 5.7476
Dólar 5.2861
Peso 0.0059
Yuan 0.7301
Prefeitura de Sapé será parceira do projeto de requalificação do Memorial das Ligas Camponesas
28/08/2021 / 14:31
Compartilhe:

Foi aprovado na Câmara dos Deputados a requalificação do Memorial das Ligas e Lutas Camponesas. O projeto, de autoria do deputado federal paraibano Frei Anastácio (PT), prevê o envio de recursos para a elaboração de projetos na unidade, que marca a história de luta dos agricultores do município de Sapé. A prefeitura será parceira da ação e vai ajudar na gestão dos valores.

Presidente do Memorial, Alane Silva explica que foram empenhados R$ 46 mil para a intervenção do espaço. Ela conta que a requalificação contará com restauração, criação e instalação de projeto expográfico, projeto luminotécnico, projeto hidráulico, além de reparos simples na estrutura, como conserto de rachaduras, ajuste de reboco e outros detalhes.

Além da gestão, os recursos serão administrados pela diretoria do Memorial e por camponeses que têm no local símbolo do esforço. Alane ressalta que a reforma vai beneficiar toda a população e fortalecer a importância histórica do Memorial para o povo de Sapé.

“A Casa é um bem tombado e representa a história do povo do campo. Tem a representação da história de resistência, de luta por direitos, luta por terras, pela qualidade de vida. A requalificação é um símbolo de esperança e continuidade de luta”, pontua.

Ainda conforme a presidente, após finalizado o processo, a Casa será aberta para escolas, comunidades rurais e a população da cidade.

Secretário de Cultura de Sapé, Kelson Ricardo ressalta a importância do local para a identidade do povo. “A agricultura do nosso município faz parte da nossa história e foi através da luta das ligas camponesas que conseguimos conquistas e garantias. Essa valorização é necessária para sempre lembrarmos do nosso passado e continuar repassando a todas as gerações”, pontuou.

Memorial das Ligas e Lutas Camponesas

Fundado em 2006, o Memorial surgiu a partir das memórias dos camponeses. O Memorial é a única instituição do Nordeste que integra a Coalizão Internacional de Sítios de Consciência, integrando a rede internacional de museus de Direitos Humanos.