João Pessoa 25.13ºC
Campina Grande 22.9ºC
Patos 32.75ºC
IBOVESPA 118990.25
Euro 5.8576
Dólar 5.4546
Peso 0.006
Yuan 0.7516
Putin anuncia envio de 300 mil reservistas para a guerra e faz ameaça nuclear
21/09/2022 / 13:50
Compartilhe:

Vladimir Putin acusa o Ocidente de tentar “destruir a Rússia” e está pronto para responder com armas nucleares. O líder russo decretou uma mobilização militar parcial para lidar com a contra ofensiva da Ucrânia, que reconquistou território no norte este mês: 300 mil reservistas russos irão para a linha de frente.

Em uma mensagem à nação, o presidente confirmou que a Rússia daria seu total apoio aos referendos anunciados neste fim de semana pelas autoridades de ocupação nas regiões ucranianas de Lugansk, Donetsk, Kherson e Zaporiyia para se unir à Federação Russa. Para proteger as novas fronteiras da Rússia, ele usará “todos os meios à sua disposição”. Empoleirado na mesma mesa onde ele anunciou o ataque à Ucrânia em fevereiro, Putin repetiu duas vezes sua ameaça e advertiu o Ocidente: “Não estou blefando”.

Em um discurso pré-gravado que atrasou sua transmissão, programada para terça-feira à noite, Putin justificou sua agressão militar e pronunciou pela primeira vez a palavra “guerra”: “Os ocidentais empurraram a Ucrânia para a guerra conosco”. “Kiev recusou-se a negociar a paz e está tentando conseguir armas nucleares”, afirmou o presidente.

“Não estamos lutando apenas contra os neonazistas, mas contra todo o destacamento militar ocidental”, acusou Putin, justificando a mobilização de sua população, e emitiu uma clara ameaça ao uso de armas nucleares se a “integridade territorial da Rússia” for ameaçada. “Vamos usar todos os meios para nos defender”, advertiu o presidente russo, que repetiu seu aviso: “Insisto, vamos nos defender com todos os meios que temos”.

MOBILIZAÇÃO DE RESERVISTAS

O Ministério da Defesa ordenou a convocação de reservistas militares para o serviço ativo a partir de quarta-feira, quando a Rússia enfrenta um prolongado conflito com a Ucrânia. As forças armadas apenas convocarão reservistas militares, disse o presidente, prometendo dar-lhes treinamento adicional com a remuneração dos que estão no serviço militar ativo.

Em seu discurso, Putin repetiu a linha usual da propaganda russa, afirmando que o governo ucraniano reforçou seu exército com tropas treinadas pela OTAN, muitas das quais são “extremistas neonazistas”.

Putin também ordenou um aumento no financiamento para aumentar a produção de armas do país para apoiar o esforço de guerra de Moscou na Ucrânia. “Confio em seu apoio“, disse ele aos russos.