João Pessoa 28.13ºC
Campina Grande 25.9ºC
Patos 31.39ºC
IBOVESPA 124729.4
Euro 5.6025
Dólar 5.1645
Peso 0.0058
Yuan 0.7135
Refugiado que inspirou o filme ‘O Terminal’ morre no aeroporto de Paris
12/11/2022 / 20:32
Compartilhe:

Mehran Karimi Nasseri, um refugiado político iraniano que viveu por mais de 18 anos no aeroporto Roissy-Charles de Gaulle de Paris e inspirou o diretor Steven Spielberg para o filme “O Terminal”, morreu neste sábado (12). A informação foi divulgada pela AFP, que obteve a confirmação com uma fonte do aeroporto.

Mehran Karimi Nasseri morreu de morte natural, pouco antes do meio-dia deste sábado no terminal 2F, disse a fonte à AFP. Depois de ter gasto grande parte do dinheiro arrecadado com o filme, ele voltou por algumas semanas ao aeroporto, acrescentou a mesma fonte. Vários milhares de euros foram encontrados com ele.

Nascido em 1945 em Masjed Soleiman, na província iraniana do Cuzestão, Mehran Karimi Nasseri, conhecido como “Sir Alfred”, fixou residência em Roissy, ao norte de Paris em novembro de 1988, após uma longa viagem – à procura de sua mãe – que o havia levado para Londres, Berlim e mesmo Amsterdã. A cada vez, ele foi expulso pelas autoridades, por não poder apresentar documentos.

Familiarizado com o aeroporto Roissy-Charles de Gaulle

Em 1999, o homem obteve o status de refugiado na França e uma autorização de residência. Em Roissy, ele conheceu o pessoal do aeroporto e se tornou uma figura emblemática, tendo sido objeto de inúmeras reportagens de veículos de rádio e televisão franceses e estrangeiros, antes da consagração cinematográfica.

Em 2004, o astro americano Tom Hanks interpretou um personagem inspirado em Nasseri no filme “O Terminal”, dirigido por Steven Spielberg. Depois do filme, ele teria morado em um albergue em Paris.

O roteiro do longa-metragem foi escrito por Sacha Gervasi e Jeff Nathanson. O filme conta a história de um homem preso num terminal de aeroporto por ter sua entrada nos Estados Unidos negada e por não poder retornar ao seu país de origem, a fictícia Krakozhia, devido a uma revolução.

 

Por G1