João Pessoa 24.13ºC
Campina Grande 23.9ºC
Patos 31.95ºC
IBOVESPA 128212.37
Euro 5.5463
Dólar 5.1021
Peso 0.0058
Yuan 0.7062
Senador na chapa de João, vice de Pedro e governador pelo PL: Sérgio Queiroz diz que recebeu proposta de vários grupos
16/08/2022 / 21:01
Compartilhe:

Em entrevista ao programa F5 Online, da rádio Pop FM (89.3), na tarde desta terça-feira (16), o pastor Sérgio Queiroz (PRTB), candidato ao Senado pela Paraíba, revelou que diferentes legendas o procuraram para compor chapa.

“Sim, eu recebi ligações de pessoas ligadas ao governador (João Azevedo, do PSB) sondando a possibilidade de alinhamento e de compor. Não tô dizendo que foi o governador”, afirmou o candidato do PRTB, que acrescentou: “pessoas próximas dele, amigos, me convidaram para ser senador ao lado de João. 

A recusa do pastor para a chapa do pessebista se deu por falta de alinhamento ao apoio para o Governo Federal. “Eu não tenho como, nessa composição, estar num bloco para apoiar Lula”, disse.

Sérgio Queiroz revelou que um grupo do campo ideológico da direita também o procurou. “Antes de Nilvan (PL) ser chamado, eu fui chamado para ser o governador da chapa, pelo Cabo Gilberto, e teria sido a pedido de Wellington Roberto”, contou.

A proposta do PL não o interessou por se sobrepor à sua aspiração de ser parlamentar. “Eu disse: eu agradeço o convite de ser governador na chapa, mas eu quero o Senado. Foi aí que surgiu a frase ‘ou o Senado ou ser nada’”, explicou o pastor Sérgio Queiroz.

Além desses grupos, o candidato do PRTB disse que também foi sondado pelo PSDB para as eleições deste ano. “É verdade que conversei com Pedro (PSDB) (…) A conversa com Pedro foi mais no sentido de eu ser o vice-governador, representando João Pessoa”, contou o perretebista.

Em um breve resumo no fim da entrevista, Queiroz pontuou os convites que recebeu para esse processo eleitoral: “Fui convidado para ser governador no PL, disse não porque ou Senado ou ser nada. Fui convidado para ser senador com João, mas ponderei que não seria uma atitude política coerente com o que eu venho defendendo. Fui convidado para ser vice e fui convidado para abandonar a candidatura ao Senado para concorrer a deputado federal recebendo R$ 10 milhões para eu gastar na minha campanha”, concluiu.