João Pessoa 23.13ºC
Campina Grande 20.9ºC
Patos 20.4ºC
IBOVESPA 119630.44
Euro 5.8347
Dólar 5.441
Peso 0.006
Yuan 0.7498
UCRÂNIA: Socorristas alegam que os ataques russos deixaram 12 mortos
14/07/2022 / 08:53
Compartilhe:

Ao menos 12 pessoas, incluindo uma criança, segundo o chefe de polícia da região, Ihor Klymenko, morreram nesta quinta-feira em ataques russos em um cidade da região central da Ucrânia, uma área até agora relativamente a salvo dos combates. O serviço ucraniano de Situações de Emergência fez o anúncio em sua página de rede social por volta das 6h (no horário de Brasília), indicando ainda que 25 pessoas ficaram feridas, enquanto socorristas lutam contra um incêndio provocado pelos ataques na cidade de Vinnytsia.

O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky chamou os ataques, que ocorreram longe das linhas de frente, de “ato claro de terrorismo”.

“Todos os dias, a Rússia mata civis, mata crianças ucranianas, lança mísseis contra alvos civis onde não há nada militar. O que é isso senão um ato claro de terrorismo?”, denunciou Zelensky no Telegram.

Imagens divulgadas pelos socorristas mostram carros incendiados ao lado de um edifício de 10 andares destruído por uma explosão.

De acordo com as equipes de emergência, o ataque atingiu um estacionamento ao lado de um prédio comercial do centro de Vinnytsia que abriga escritórios e pequenas lojas.

Vinnytsia, uma cidade de 370 mil habitantes, é um importante centro ferroviário do centro-oeste da Ucrânia.

Desde o início da invasão russa da Ucrânia em 24 de fevereiro, o centro e o oeste do país são consideradas regiões relativamente seguras, afastadas das frentes de batalha do sul e leste.

Rússia bombardeia Bakhmut, em represália a ataque da Ucrânia a Luhansk

Anteriormente, ataques deixaram um morto na cidade de Bakhmut, no que algumas fontes especulam ser uma represália após ataque ucraniano usando o sistema de mísseis Himars, fornecido pelos EUA, em um local de defesa aérea russo, em Luhansk. Cinco ficaram feridos, segundo o governador de Donetsk, Pavlo Kyrylenko.