João Pessoa 30.13ºC
Campina Grande 26.9ºC
Patos 35.18ºC
IBOVESPA 121585.25
Euro 5.7377
Dólar 5.3527
Peso 0.0059
Yuan 0.7379
Vale a pena investir em computação em nuvem no setor financeiro?
04/03/2023 / 09:57
Compartilhe:

No atual cenário tecnológico em constante evolução, as empresas de todos os setores estão buscando maneiras inovadoras de otimizar suas operações e de eficiência. Na área financeira, onde a agilidade, a segurança e a precisão são fundamentais, a computação em nuvem surge como uma solução promissora. 

No entanto, será que investir nessa tecnologia é realmente proveitoso para essas organizações?

Pensando nisso, criamos esse artigo para explorar os benefícios diversos que essa simples mudança pode trazer para o setor financeiro de seu negócio. Vamos lá?

O que é a computação em nuvem?

A computação em nuvem, também conhecida como cloud computing, é uma abordagem tecnológica que permite o acesso e o compartilhamento de recursos de computação, como armazenamento de dados, servidores, aplicativos e redes, por meio da internet. 

Em vez de depender de infraestrutura local, ela utiliza servidores remotos, localizados em data centers, para fornecer serviços e processamento de dados.

Essa tecnologia oferece aos usuários a capacidade de armazenar e acessar seus dados e aplicativos de qualquer lugar, a qualquer momento, utilizando dispositivos conectados à internet. 

Os serviços são categorizados em três modelos principais: Software as a Service (SaaS), Platform as a Service (PaaS) e Infrastructure as a Service (IaaS). Cada modelo oferece diferentes níveis de controle e responsabilidade compartilhada entre o provedor de serviços em nuvem e o usuário.

Tipos de computação em nuvem

A computação em nuvem apresenta diferentes abordagens, cada uma com características e funcionalidades específicas. Exploraremos os principais tipos e entender suas diferenças.

Pública

A pública é compartilhada por várias empresas e gerenciada pelo provedor de serviços. Nesse modelo, o provedor é responsável por gerenciar o software, hardware e a infraestrutura de suporte, disponibilizando-os para aqueles que desejam contratar seus serviços. 

Ela oferece flexibilidade, escalabilidade e custos mais baixos, pois os recursos são compartilhados entre vários usuários.

Privada

A privada é exclusiva de uma única organização e sua infraestrutura e serviços são mantidos em uma rede privada. Nesse caso, a empresa tem controle total sobre seus recursos e pode personalizar a configuração de acordo com suas necessidades específicas. 

Ela oferece maior segurança e controle sobre os dados, mas também exige investimentos adicionais em infraestrutura e gerenciamento.

Híbrida

A híbrida é uma combinação dos modelos de nuvem pública e privada. Ela permite que os dados e aplicativos sejam compartilhados entre ambas, oferecendo maior flexibilidade e aproveitando as vantagens de ambos os modelos. 

Ela é ideal para empresas que desejam manter a segurança e o controle de dados sensíveis em uma rede privada, enquanto aproveitam a escalabilidade e a eficiência da pública para outros serviços.

É vantajoso investir nesse modelo em um setor financeiro?

A computação em nuvem oferece diversas vantagens para o setor financeiro, como:

  1. Flexibilidade — permite que as instituições financeiras se adaptem rapidamente às mudanças do mercado, escalando ou reduzindo seus recursos conforme necessário, sem a necessidade de investimentos em infraestrutura física;
  2. Redução de custos — as empresas podem economizar em despesas de hardware, manutenção, atualizações e espaço físico, pagando apenas pelos recursos utilizados, resultando em uma redução significativa de custos operacionais;
  3. Segurança aprimorada — os provedores têm como prioridade garantir a segurança dos dados armazenados e transmitidos. Eles implementam medidas de segurança avançadas, como criptografia de dados, controle de acesso e backups automáticos, oferecendo um nível de proteção robusto;
  4. Colaboração eficiente — possibilita o compartilhamento e a colaboração em tempo real, facilitando a troca de informações entre equipes e departamentos. Isso possibilita uma maior eficiência operacional, acelerando processos como aprovação de transações, análise de risco e tomada de decisões.

Ao aproveitar essas vantagens, o setor financeiro pode otimizar suas operações, aprimorar a segurança dos dados e impulsionar a inovação, estabelecendo-se como uma indústria ágil e competitiva no mundo digital atual. E então, investir nessa área parece benéfico para você?