João Pessoa 27.13ºC
Campina Grande 26.9ºC
Patos 30.77ºC
IBOVESPA 127103.99
Euro 5.8537
Dólar 5.4182
Peso 0.0059
Yuan 0.7451
Arquidiocese nega que Dom Delson tenha aprovado prestação de contas de Padre Egídio
20/11/2023 / 12:45
Compartilhe:

A Arquidiocese da Paraíba emitiu nota nesta segunda-feira (20/11) negando que o arcebispo da Paraíba, Dom Manoel Delson tenha aprovado prestação de contas apresentada pelo Padre Egídio de Carvalho Neto quando diretor do Hospital Padre Zé, em abril de 2022.

Egídio, ex-diretor do Hospital Padre Zé, em João Pessoa, está preso desde a última sexta-feira (17), acusado de liderar um esquema de desvio de recursos públicos estimado em R$ 140 milhões, entre 2013 e 2023. De acordo com investigações do Ministério Público/Gaeco, os desvios foram operacionalizados através do Instituto São José, responsável pelo Hospital Padre Zé, e da Ação Social Arquidiocesana.

Na nota, a arquidiocese alega que o documento obtido por veículos de imprensa – autenticado em cartório citando que foram apresentadas as prestações de contas social e contábil pela ASA, presidida por Dom Delson, ocasião em que as contas teriam sido aprovadas – “refere-se à ata de uma assembleia realizada pela Ação Social Arquidiocesana. Nessa assembleia, foram apresentados os projetos em andamento, através de explanações feitas pelo Secretário Executivo e pela Contadora da instituição, à época”.

“É importante destacar que a referida assembleia não tratou de prestações de contas do Hospital Padre Zé. A Arquidiocese da Paraíba reafirma seu compromisso com a transparência e a responsabilidade na gestão de suas atividades e está à disposição para esclarecimentos
adicionais, visando a compreensão correta dos fatos por parte da comunidade e da sociedade em geral”, afirma a nota divulgada pela assessoria jurídica da arquidiocese estadual.

De acordo com o Gaeco, Egídio é ligado a 29 imóveis na Paraíba, em Pernambuco e em São Paulo. As autoridades investigam se as residências e outros bens do padre foram adquiridos com dinheiro público desviado.

Confira íntegra da nota divulgada pela Arquidiocese da Paraíba: