João Pessoa 22.13ºC
Campina Grande 18.9ºC
Patos 23.68ºC
IBOVESPA 124305.57
Euro 5.6073
Dólar 5.1707
Peso 0.0058
Yuan 0.7137
Indiciado, Trump confirma que vai se entregar
31/03/2023 / 16:33
Compartilhe:

O ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump foi acusado formalmente de crime no âmbito do episódio envolvendo um suposto pagamento de suborno a uma atriz de filmes pornográficos. A decisão foi tomada por um grande júri de Manhattan, em Nova York, segundo fontes.

Nenhum outro presidente dos EUA, estando ou não no cargo, jamais enfrentou acusações criminais na história.

De acordo com a investigação coordenada pelo promotor distrital de Manhattan, Alvin Bragg, a suspeita é de que Trump tenha participado de um esquema de pagamento de suborno à estrela de cinema adulto Stormy Daniels durante a campanha eleitoral à Presidência dos EUA de 2016 para encobrir um suposto caso que o republicano teve com ela.

A denúncia foi protocolada sob sigilo e será divulgada nos próximos dias. As acusações específicas não são conhecidas publicamente neste momento.

O escritório do promotor distrital de Manhattan, Alvin Bragg, entrará em contato com os advogados de Trump para discutir sua rendição para enfrentar uma acusação.

Ainda nesta quinta, Trump se manifestou e chamou a decisão judicial de “perseguição política e interferência eleitoral no nível mais alto da história”.

Ele acusou os democratas –seus rivais na política norte-americana– de estarem por trás da decisão. Também pontuou acreditar que “esta caça às bruxas vai sair pela culatra” e atingir Joe Biden.

“Os democratas mentiram, trapacearam e roubaram em sua obsessão em tentar ‘pegar Trump’, mas agora eles fizeram o impensável –indiciar uma pessoa completamente inocente em um ato de flagrante interferência eleitoral”, afirmou.

A ação legal contra Trump leva a campanha presidencial de 2024 a uma nova fase –em que o ex-presidente prometeu continuar concorrendo mesmo diante de acusações criminais.

O ex-presidente chamou frequentemente as várias investigações que o cercam de “caça às bruxas”, tentando influenciar a opinião pública sobre elas, colocando-se como vítima do que ele alegou serem investigações políticas lideradas por promotores democratas.

À medida que a acusação se aproximava, ele convocou protestos de seus apoiadores contra sua eventual prisão, ecoando seus apelos após a eleição de 2020, enquanto tentava anular sua derrota para o presidente Joe Biden.

O escritório de Bragg havia sinalizado recentemente, no início de março, que estava perto de apresentar acusações contra Trump depois de convidar o ex-presidente a testemunhar perante o grande júri que investigava o esquema de suborno.

Os possíveis réus em Nova York são obrigados por lei a serem notificados e convidados a comparecer perante um grande júri que avalia as acusações. Mas o ex-chefe de Estado acabou se recusando a comparecer perante o painel.

Os aliados republicanos de Trump – assim como seus rivais do Partido Republicano para 2024 – condenaram o escritório do promotor distrital de Manhattan pela acusação iminente, e o presidente da Câmara, Kevin McCarthy, prometeu iniciar uma investigação sobre o assunto.

Em dezembro, a Organização Trump foi condenada por várias acusações de fraude fiscal, embora o próprio ex-presidente não tenha sido acusado nesse caso.

 

F5 Online com CNN