João Azevedo e o mapa de 2022

Ao longo dos últimos seis meses, uma questão tem confundido a cabeça de aliados e adversários: o que João Azevedo pensa das eleições de 2022? 

Para se falar disso, devemos começar pela questão principal: João tem todo o direito de buscar a reeleição e será o comandante natural desse processo. 

Além disso, deve crer ser a opção mais qualificada para superar tanto a crise gerada pela pandemia, quanto as crises naturais de qualquer governo. 

Só que é preciso provar “no discurso” que ele é melhor do que os adversários, como por exemplo o ex-prefeito de Campina Grande Romero Rodrigues ou qualquer outro candidato da oposição. 

João foi professor do Instituto Federal de Educação Tecnológica (IFPB), chefe da Assessoria de Planejamento Econômico da Urban. Em 1986, assumiu a Secretaria de Serviços Urbanos da Prefeitura de João Pessoa e em 2003 ocupou o cargo de secretário de Planejamento da Prefeitura de Bayeux e foi chefe de gabinete da Sedurb, assessoria da Seplan e Secretaria de Habitação.

Em 2007, assumiu a Secretaria de Infraestrutura de João Pessoa e, em 2011, tornou-se secretário de Infraestrutura, Recursos Hídricos, do Meio Ambiente e da Ciência e Tecnologia da Paraíba, quando virou um super-secretário no governo Coutinho II, e por méritos próprios,foi colocado na disputa para governador, consagrando-se nas urnas com quase 60% dos votos válidos. 

Mas, naquela época, teve significativa ajuda do então prestigiado Ricardo Coutinho, e agora, depende de sua própria liderança política. 

Esse é o x da questão. Tecnicamente, sua experiência é invejável, já politicamente, sua liderança está em construção, embora tenha passado por testes importantes. 

Na fase inicial da gestão, lidou com a operação Calvário que arrastou Ricardo Coutinho e nomes importantes da primeira formação do seu secretariado saindo sem arranhões. O vendaval da operação emendou com a pandemia do Coronavirus e Azevedo após 14 meses fez o dever de casa sem prejudicar a gestão fiscal.

Passou no primeiro teste nas eleições de 2020. Cartesiano, foi decisivo na vitória de Cícero em João Pessoa e ao optar por Ana Cláudia Vital em Campina assegurou a segunda força de oposição na cidade. De quebra, elegeu 42 prefeitos pelo Cidadania. 

Os acertos das decisões, sinalizaram que o governador também passou a jogar bem o xadrez da sucessão, mas, aliados, vez por outra, reclamavam da falta de espaço na agenda para assuntos políticos. 

Correligionários que tiveram a oportunidade de acompanhar ontem a entrevista do governador no programa F5 da 89 rádio POP, perceberam que João calcula vacinar 75% da população até outubro e, até lá, acelerar os passos, visando o pleito do próximo ano. 

João negou estremecimentos com o prefeito Cícero, reconheceu que terá dificuldades para conciliar a vaga do senado, mas deixou nas entrelinhas a possibilidade de apoiar até mais de uma candidatura. Faz discurso sob medida para não desagradar ninguém. 

Ao contrário de Ricardo que tinha fama de fechar portas, João tem feito o contrário.


Segundo o governador, em 2020, a Paraíba recebeu de transferência R$2,748 bilhões. Desse total, ficaram nos cofres do estado para atender 33 hospitais e 4 Upas R$347 milhões. Campina levou R$313 milhões e João Pessoa R$ 579 milhões. Os demais municípios ficaram com R$1,5 bi. Desses R$347 milhões vieram para Covid  R$138 milhões que somados aos R$191 milhões da Lei Complementar 173 aprovada no Congresso, dá um total de R$329 milhões. Bem diferente dos números divulgados pela oposição e pelo Governo Federal.

Para João, o Brasil voltou a figurar no mapa da fome no mundo.  “O número de desempregados é muito grande e por isso o governo tem através dos restaurantes populares oferecido 7.500 refeições por dia cobrando apenas R$1,00 além do programa “Prato Cheio” com outras 7mil refeições para moradores de rua”, disse. Tem ainda o Cartão Alimentação no valor de R$50,00 que beneficia 52 mil famílias, e o “Tá na Mesa” que vai fornecer a R$1,00 cerca de 522 mil refeições por mês em 83 municípios. O governo ainda encomendou 500 toneladas de alimentos na agricultura familiar para distribuição com famílias carentes.

Ogovernador tem um discurso na ponta da língua para quem diz que deu as costas para o setor produtivo. Lembrou da isenção total por 90 dias de ICMS para bares e restaurantes, sorveterias e congêneres, também isentou para estes segmentos o pagamento de água e para todas as outras empresas optantes do simples foi postergado por 90 dias o pagamento do ICMS.


PROJEÇÃO DE VACINAS 

A previsão é que em junho o Brasil vai receber 43 milhões de doses. Isso fará com que a Paraíba receba 800 mil doses e com as remessas já recebidas, toda a população, dentro dos grupos prioritários, estará contemplada. Nos meses de julho, agosto, setembro e outubro serão vacinadas as pessoas entre 18 e 59 anos, coisa que já começou a acontecer em alguns municípios como é o caso de João Pessoa.

MARGINAIS

Azevedo foi duro com o deputado Walber Virgolino que insinuou que o Estado havia comprado carga de arroz roubada: “Quem produz fake news é um marginal porque está cometendo um crime e quando se comete crime tem que ser tratado como marginal. É um aproveitamento rasteiro do deputado”.  

AVISO AOS APRESSADOS 

O governador aproveitou a entrevista para mandar um recado para aquelas pessoas que pressionam pelo fechamento da chapa. “Não é momento para isso e nunca tratei com ninguém sobre companheiros de chapa, pois não estou discutindo 2022 agora.”

ATALHOS

  • O projeto dos três hotéis e mais o Surf World Park já estão protocolados na Prefeitura de João Pessoa, esperando análise para emissão de alvará e início de construção. 
  • A equação financeira também já está sendo discutida com a Sudene e o BNB, através do Fundo Geral do Turismo, além dos investimentos privados. 
  • “O estado não tem que comprar hotel, aliás o Estado tem que vender os hotéis que tem, pois não é função do estado cuidar de hotelaria”, disse o governador.
  • Para João é um ramo da iniciativa privada que faz isso com muita competência. “O que cabe ao governo é fomentar para que a iniciativa privada invista nesse segmento. O Hotel Tambaú vai complementar os aparelhos de turismo em João Pessoa.” 

 

#PUBLICIDADE#