João Pessoa 25.13ºC
Campina Grande 21.9ºC
Patos 26.1ºC
IBOVESPA 128896.98
Euro 5.9176
Dólar 5.4291
Peso 0.0059
Yuan 0.7487
Médico investigado por violência doméstica nega acusações, cita “surtos psicóticos” e ameaças de morte; defesa rebate
12/12/2023 / 08:19
Compartilhe:

A defesa do médico Kauê Seabra, investigado por violência física, psicológica e patrimonial contra a ex-esposa, a médica Mikaella Lacerda, emitiu nota negando que o suspeito tenha cometido qualquer lesão corporal contra a ex-companheira.

As agressões foram registradas por câmeras de segurança instaladas no apartamento do casal, em João Pessoa, e o caso se tornou público nesta segunda-feira (11) com o compartilhamento dos vídeos. Mikaella procurou a Delegacia da Mulher na capital e, no último mês de setembro, a Justiça paraibana concedeu medida protetiva para a vítima, proibindo Kauê de se aproximar e de se comunicar com ela.

“Em verdade, o respeitado médico foi, por muito tempo, vítima do gênio irascível de sua ex-esposa, diagnosticada com síndrome de borderline, cujos surtos psicóticos são por todos conhecidos, além de constantes ameaças de morte por parte de seus parentes”, diz trecho da nota.

A defesa prossegue afirmando que “as medidas protetivas requeridas e deferidas no dia 1º de setembro estão sendo todas cumpridas, presumindo que a estranha e súbita aparição midiática tenha sido em represália à recusa do médico em atender ao desejo da jovem de contrair matrimônio religioso na sexta-feira 13, de outubro de 2023”.

“Por fim, em respeito ao sigilo que se abate sobre o processo, mais não poderá falar”, finalizam os advogados Aécio Farias e Ravi Vasconcelos.

O que diz a defesa de Mikaella 

Também através de nota, divulgada hoje (12/12), os advogados que representam a médica Mikaella Lacerda alegam que a manifestação do acusado, “citando um pseudo diagnóstico de quadro de ‘borderline’, tenta desqualificar a vítima em notória retaliação as notícias de que ele responde a um inquérito na delegacia da mulher da capital, mas só reforça o quadro de violência moral sofrido por Mikaella Lacerda”.

“É lamentável que mesmo diante do laudo e das imagens que revelam agressões físicas, ameaças com arma de fogo, violência patrimonial e diversas violências psicológicas, o acusado que se apresenta como médico psiquiatra, venha a se utilizar de uma nota e um vídeo manipulado com viés difamatório”, rebateu a defesa da médica, se referindo a um vídeo compartilhado nas redes sociais em que Mikaella aparece supostamente agredindo o ex-marido.

“Isso caracteriza um novo crime, e vai ser devidamente comunicado à justiça. Mikaella já sofreu inúmeras violências ao longo de anos de um relacionamento abusivo, e sua defesa não vai tolerar nenhuma vã tentativa de constrangê-la, deturpando os reflexos da própria violência para desqualificá-la psicologicamente, em clara tentativa de obstruir que a justiça seja feita, por Mikaella e por todas as mulheres vítimas de violência doméstica”, assinam os advogados Rinaldo Mouzalas e Diego Cazé.