João Pessoa 29.13ºC
Campina Grande 25.9ºC
Patos 35.45ºC
IBOVESPA 124788.16
Euro 5.5863
Dólar 5.1533
Peso 0.0058
Yuan 0.7113
Moradores reclamam de barulho em arenas de esportes no bairro Manaíra, em João Pessoa
16/04/2023 / 17:03
Compartilhe:

Moradores do bairro Manaíra, em João Pessoa, reclamam do barulho em excesso durante a noite em um espaço destinado à prática de esportes que fica localizado na região. Incomodada, essa moradora publicou vídeo nas redes sociais chamando atenção das autoridades para resolver o problema. Veja:

Caso parecido aconteceu também no bairro do Bessa, na Capital. Moradores foram parar no Ministério Público da Paraíba- MPPB. Na ação, eles alegam que torneios de beach tennis com aglomeração de torcidas “geram gritaria, algazarra e palavrões”.

Leia a reportagem completa: VÍDEO | ‘Som alto, gritaria e palavrões’, moradores reclamam de barulho em arena de beach tennis em João Pessoa

No caso das arenas do Maná Esportes, em Manaíra, os vizinhos disseram que procuraram a Secretaria de Meio Ambiente- SEMAM, a Polícia Militar e MPPB, mas não tiveram nenhuma resposta até a publicação desta reportagem.

Outro vídeo, publicado no Instagram do Coletivo de Defesa do Meio Ambiente da Paraíba- CDMAPB, mostra um morador reclamando do som alto durante uma competição esportiva.  

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por CDMA-PB (@cdmapb)

Procurada pelo F5 Online, a direção da Maná Esportes disse que os campeonatos realizados no local geralmente tem início 8h da amanhã e se encerram às 22h da noite, mas sempre respeitando os limites estabelecidos pela lei.

“Recebemos visitas frequentes da SEMAM e nunca fomos autuados porque sempre estamos com tudo dentro do padrão, respeitando o que está imposto na nossa nossa licença, muitas vezes o som está até mais baixo do que o permito em lei”, disse  Alberto Iury da Cruz, diretor da Maná Esportes.

A direção também lamentou qualquer mal-entendido e disse que “está sempre buscando a boa convivência com os moradores da região”.

“De toda forma, entendemos que é um bairro residencial e comercial, com idosos e crianças. Temos muitos alunos aqui da vizinhança, inclusive, moramos aqui ao lado. E reforçamos que o nosso volume de som está sempre dentro do que nos é permitido em lei. Estamos abertos a solucionar qualquer problema”, disse.