Porque Luciano sobe o tom contra Cícero

O ex-prefeito Luciano Cartaxo surpreendeu os meios políticos quando iniciou seu contraponto à gestão do prefeito Cícero Lucena logo após 100 dias de governo. 

Hoje, durante entrevista ao programa F5 da 89 rádio POP, ele elevou o tom das críticas ao prefeito da capital, chegando a dizer que Cícero leva três meses para trocar uma lâmpada e seis para tapar um buraco. 

Alegou ter deixado nos cofres do município R$ 354 milhões, fora os 100 milhões de dólares do Programa João Pessoa Sustentável, além dos servidores em dia. 

Cartaxo apontou que Lucena foi o primeiro a desrespeitar o decreto de restrições publicado pelo governador. “Como pedir apoio da população com um exemplo desse?”, bradou.

Luciano lembrou que Cícero se apresentou durante a campanha como um gestor experiente e preparado por ter governado a capital por duas vezes, mas na prática seu governo nasceu velho e só olha para trás.

 Disse que deixou recursos enviados pelos deputados Pedro Cunha Lima e Edna Henrique,  para a reforma do Trauminha e as obras se arrastam com apenas três funcionários.

Além disso, prometeu entregar medicamentos nas casas das pessoas e atualmente não conseguiu sequer manter as redes de Upas e hospitalar abastecidos. 

Após a entrevista, ex-auxiliares de Cartaxo disseram ao F5 Online que a estratégia de Luciano é ir para a disputa de 2020 já pensando no retorno em 2024. 

Ele tem pressa porque acredita num desgaste de Cícero já após o pleito estadual e teme que o espaço da oposição seja ocupado pelo deputado federal Ruy Carneiro (PSDB), que teve uma extraordinária votação no último pleito e está se preparando para 2024.

Ciceristas minimizam a fala do ex-prefeito. Preferem acreditar que é uma estratégia para se manter vivo e conseguir apoio dos vereadores na derrubada do julgamento do TCE que rejeitou as contas dele de 2019.

Enfim, Cartaxo terminou o mandato sem muitos aliados políticos e a única arma que lhe resta é relembrar seus feitos, comparar com os de Cícero e evitar que Ruy Carneiro ocupe o espaço. 

Errado não tá.


CCOMPARAÇÃO. Mesmo sendo adversários políticos, Luciano Cartaxo insinuou que o governador João Azevedo deve ter saudades do tempo em que os dois dialogavam e alinhavam os decretos da pandemia. “Hoje com Cícero ele não consegue sentar de maneira antecipada para dialogar”, alfinetou. 

E

LEIÇÕES: “Tenho identidade com o executivo, pois é onde a gente mais pode fazer pelas pessoas, porém ainda estou avaliando se vou para governador, senador ou deputado”, disse Luciano Cartaxo, deixando claro que vai não vai só ficar olhando a banda passar nas eleições do ano que vem.

SOBROU PARA JOÃO. O ex-prefeito Luciano Cartaxo também aproveitou para criticar o governador João Azevedo que “fechou o hospital de campanha em plena pandemia e, em três anos de mandato, não fez nenhuma obra de grande porte na capital”.

AGENDA EM CAMPINA 

Como disse antecipou no programa F5 da 89 rádio Pop o governador João Azevêdo (Cidadania), passou o dia em Campina Grande. Anunciou a construção do novo Hospital de Clínicas da cidade. O Hospital de Clínicas é referência para tratamento da Covid-19 na 2ª Macrorregião de saúde do Estado. Ainda em Campina, João anunciou o serviço de hemodinâmica no Hospital de Emergência e Trauma do Município Dom Luiz Gonzaga. O prédio atual é alugado e precisaria de muitas reformas.

RUY CARNEIRO

O deputado federal Ruy Carneiro (PSDB-PB), levou representantes dos hospitais Napoleão Laureano, São Vicente de Paulo, Fundação Assistencial da Paraíba (FAP), Flávio Ribeiro Coutinho e Padre Zé para uma audiencia nesta terça feira com o ministro da Saúde Marcelo Queiroga.

ATALHO

– Luciano Cartaxo tomou a primeira dose da vacina e espera tomar a segunda em três meses para depois cair em campo, costurando 2022.

Sobre os vereadores de sua base que hoje trocam figurinhas com o prefeito Cícero disse que não vai entrar no mérito, pois é uma questão pessoal de cada um.

-O Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB) aprovou, nesta quarta-feira (9), as contas do ex-prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, referentes ao ano de 2019. O relator foi o conselheiro Antônio Cláudio Silva Santos. Romero assistiu a sessão.

– O prefeito de Cabedelo Vítor Hugo, disse que foi seguido por dois homens suspeitos em uma motocicleta, na tarde desta terça-feira (9).

Vitor Hugo informou que os suspeitos não fizeram a abordagem porque perceberam que o automóvel em que se encontrava era blindado.

– O ministro Marcelo Queiroga se impôs na CPI, não comprometeu o governo e ainda pegou ar com o senador Oto Alencar (PSB-BA). Os Bolsonaristas passaram o dia reproduzindo fala dele no WhatsApp.

– Causou comoção nas redes sociais texto do deputado Tião Gomes (Avante), se despedido da filha morta pela Covid-19.

– A agenda do governador João Azevêdo (Cidadania), em Campina Grande, nesta quarta-feira (9), gerou curto-circuito com o prefeito Bruno Cunha Lima (PSD). Bruno reclamou que não foi convidado para o evento ao lado do chefe do Executivo Estadual. O governador pôs panos quentes e prometeu recebê-lo

 

 

 

#PUBLICIDADE#