Racismo

PM diz odiar negros, admite ser racista, chama mulher de macaca e ameaça bater nela; veja vídeo

No vídeo, o homem, identificado como Hélio Martins, 57, morador de São Ludgero, a cerca de 180 km de Florianópolis, chama o filho da mulher que faz a gravação de "negro desgraçado" e "pirracento". Ao ser questionado por ela do motivo de tanto ódio por "gente morena", ele responde: "Porque eu tenho ódio, eu sou racista, eu não suporto negro. Eu tenho amigo negro, mas amigo descente, não essa negrada do caralho que é marrenta que nem tu". Em resposta ao tom agressivo do policial, a interlocutora pede que ele não bata nela. Martins então pega um chinelo nas mãos e a ameaça. "Quer ver? Fala de novo, sua macaca do caralho, demônio desgraçado", diz. O delegado Éder Matte, responsável pela Delegacia de São Ludgero, instaurou inquérito nesta sexta-feira (17) para apurar o crime de racismo, que tem pena de reclusão de um a três anos e multa. Ainda não se sabe quando o vídeo foi gravado, mas, segundo o delegado, trata-se de um caso recente. Em nota, a Polícia Militar de Santa Catarina confirmou que o homem que aparece no vídeo é sargento da corporação e está na reserva desde março de 2016. O caso, segundo o órgão, será encaminhado à Corregedoria-Geral.

Estudo confirma que pandemia piorou cenário de emprego para mulheres negras

O desemprego das mulheres negras, que era de 17,6% no último trimestre de 2019, chegou a 22% ao longo de 2020. A queda na ocupação ocorreu para todos os grupos socioeconômicos, sendo mais intensa, entretanto, para a população negra, que perdeu cerca de 20% do total de ocupados, entre o primeiro trimestre de 2020 e de 2021, enquanto os brancos tiveram redução de 8% entre as mulheres e 4%, homens. O estudo mostra ainda que mulheres negras respondem por 68,2% dos trabalhadores em serviços domésticos no Rio de Janeiro, enquanto representam apenas 15,2% nos setores de informação, comunicação e atividades financeiras e 10,8% nas áreas de administração pública, defesa e seguridade social.

Dirigente alemão de ciclismo é afastado devido a comentários racistas

Patrick Moster fez os comentários durante o evento ao tentar incentivar um dos ciclistas alemães, Nikias Arndt. "Pegue os condutores de camelo, pegue os condutores de camelo, vamos lá", disse Moster a Arndt, que perseguia o argelino Azzedine Lagab e Amanuel Ghebreigzabhier, de Eritreia. Mais tarde, o diretor de 54 anos foi orientado pelo Comitê Olímpico Alemão a voltar para casa. A federação alemã de ciclismo o afastou das competições internacionais por tempo indeterminado.

Em decisão pioneira, Justiça determina que Carrefour pague advogados de entidades civis

Em novembro do ano passado, na véspera do Dia da Consciência Negra, João Alberto Freitas, um homem negro de 40 anos, foi espancando e morto por seguranças em uma unidade da rede em Porto Alegre. A agressão foi registrada em vídeo por testemunhas.

Governo da PB lança campanha para lembrar a resistência das mulheres negras

A data que leva a hastag #25J reconhece a luta da Rede de Mulheres Afro-latino-americanas e Afro-Caribenhas junto à Organização das Nações Unidas (ONU) no enfrentamento do racismo, da violência e desigualdade sofridas pelas mulheres negras ao longo dos séculos. “Por isso, 25 de julho é um dia marcante para refletir sobre as demandas da diversidade de mulheres negras e de fortalecimento do protagonismo delas em todos os setores da sociedade, evidenciando as lutas antirracistas”, afirma a secretária da Mulher e da Diversidade Humana, Lídia Moura.

Twitter apaga post racista de Mario Frias, por ter violado regras de conduta

O secretário especial da Cultura do governo Bolsonaro, Mario Frias, postou um comentário direcionado a um ativista negro, dizendo que ele precisaria tomar banho. O assessor da Presidência Tercio Arnaud Tomaz reproduziu uma chamada do site Brasil247 com foto do ativista e título "Jones Manoel diz que já comprou fogos para eventual morte de Bolsonaro". Tomaz comentou: "Quem caralhas é Jones Manoel?". Mario Frias então respondeu: "Realmente eu não sei. Mas se eu soubesse diria que ele precisa de um bom banho." Jones é um homem negro, com cabelo estilo black power e barba. "O Twitter tem regras que determinam os conteúdos e comportamentos permitidos na plataforma, e violações a essas regras estão sujeitas às medidas cabíveis", afirma a empresa, em nota.

Ex- BBB João Luiz quer ampliar debate sobre educação como apresentador

Contratado pelo Grupo Globo, João Luiz apresenta atualmente o Trace Trends, exibido no Multishow e no Globoplay, e vai estrear em setembro o programa Entrevista, do canal Futura -e que também estará disponível na plataforma de streaming. João Luiz também escreve o seu primeiro livro, que será sobre geografia, disciplina da qual foi professor. A obra deve ser lançada em novembro deste ano pela editora HarperCollins. "Estou muito feliz com esse novo momento na minha vida. Era um sonho que eu tinha e que começa a ser estruturado", afirma.

Larissa Luz traz a fé e a arte como fontes de força em “Cante Pra Chamar”

“Quando esse mundo palpável está pesado, denso demais, crer que existem forças para além deste plano que fazem as coisas acontecer é a saída”. Essa é a concepção que Larissa Luz propõe em seu novo single, “Cante Pra Chamar”. Em parceria com o laboratório musical Rumpilezzinho, do maestro Letieres Leite, a cantora, compositora, curadora, produtora, ativista, atriz e empresária evoca o sentimento de fé para atravessar tempos difíceis na canção composta “no auge da pandemia”, como ela conta. A nova canção, que conta com trecho de uma fala da líder religiosa, educadora e ativista Makota Valdina, também ganhou um videoclipe, já disponível no canal de Larissa no YouTube.

Procuradoria do Trabalho investiga racismo e assédio no McDonald’s

A UGT levantou pelo menos 22 casos levados à Justiça do Trabalho, nos quais ex-funcionários relatam agressões, assédio sexual, homofobia e transfobia. Muitos, porém, não chegam a formalizar as queixas no judiciário trabalhista, segundo o advogado. “A maioria nem chega na Justiça, ou porque a empresa faz acordo, ou porque eles desistem. São, em geral, trabalhadores muito jovens”, afirma.

Entenda por que o Corinthians ainda não rompeu com Danilo Avelar após caso de racismo

"A repercussão de um comentário racista feito durante uma partida de jogo online fatalmente pode abalar não só a imagem do atleta, mas também a imagem, a honra e a boa fama do clube e seus patrocinadores. Por esse motivo, acho, sim, possível interpretar que o ocorrido se enquadre nas hipóteses de justa causa, dispostas nos incisos 'h' e 'k' do artigo 482 da CLT", diz o advogado trabalhista Leonardo Ruivo.
- Advertisement -

Latest News

Especialista aponta erros básicos na criação de conteúdo para empresas

Rodrigo Darzi, especialista em marketing digital da Agência IMMA, explica quais são os erros mais comuns ao criar conteúdos para a empresa.
- Advertisement -

Governo Federal sanciona lei a respeito da educação bilíngue de surdos

Formação de professores bilíngues é essencial para o desenvolvimento educacional de alunos surdos

Violência de gênero: a morosidade da Justiça e o que é preciso mudar

Em que pese os avanços das últimas décadas, a violência contra a mulher ainda é um problema grave que afeta todas as camadas da sociedade.

Raoni critica apatia da OAB diante da unificação de 17 varas cíveis: “calou, omitiu e acatou”

Esta tentativa de mudança já vinha sendo denunciada e criticada por Raoni desde a unificação ocorrida com as Varas da Fazenda, diante das péssimas experiências com as Varas de Família e as de Mangabeira. Ele, que é pré-candidato a presidente da OAB-PB, afirmou que a Ordem assistiu de braços cruzados, sem nada fazer, essa decisão que prejudica diretamente a advocacia e o cidadão paraibano.

Cresce uso da tecnologia no trabalho em equipe e Work OS tem nova funcionalidade

Documentos conectados apoiam colaboração entre equipes e permitem fluxos de trabalho interativos no workdocs